18:37 16 Abril 2021
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    Coronavírus no mundo no final de fevereiro de 2021 (71)
    113
    Nos siga no

    O presidente do Instituto Serum da Índia, Adar Poonawalla, pediu que os países "sejam pacientes" quanto ao fornecimento de novas doses da vacina da AstraZeneca produzidas pelo instituto.

    Segundo Poonawalla, a instituição foi "direcionada" a priorizar as "enormes necessidades" da Índia, sem especificar de onde veio a ordem para privilegiar o país. A declaração foi feita pelo Twitter.

    ​Caros países e governos, enquanto vocês aguardam suprimentos da #COVISHIELD, eu humildemente peço a vocês que sejam pacientes, o Instituto Serum
    foi direcionado a priorizar as enormes necessidades da Índia e junto com isso equilibrar as necessidades do resto do mundo. Estamos tentando o nosso melhor.

    Maior fabricante de vacinas do mundo, o Instituto Serum produz a Covishield, mais conhecida no Brasil como vacina de Oxford/AstraZeneca. Em janeiro, o governo da Índia liberou as exportações comerciais de vacinas contra a COVID-19 produzidas pela instituição para diversos países, entre eles o Brasil.

    Em 22 de janeiro, o Brasil recebeu as primeiras doses de vacinas produzidas na Índia: foram dois milhões de injeções importadas.

    Neste domingo (21), a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) confirmou que receberá, até o fim de fevereiro, um novo lote com dois milhões de doses da Covishield produzidas pelo Instituto Serum.

    Tema:
    Coronavírus no mundo no final de fevereiro de 2021 (71)

    Mais:

    'Isso não é bom': regiões suecas cessam uso da vacina Oxford/AstraZeneca devido a efeitos colaterais
    África do Sul devolverá 1 milhão de doses da vacina da AstraZeneca contra COVID-19, diz mídia
    Começam testes clínicos da combinação das vacinas contra COVID-19 Sputnik V e AstraZeneca
    Suíça pode romper acordo de fornecimento de vacina com a AstraZeneca
    Tags:
    novo coronavírus, COVID-19, pandemia, vacina, Índia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar