08:10 01 Março 2021
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    Brasil e COVID-19 em meados de fevereiro de 2021 (80)
    0 30
    Nos siga no

    O Ministério da Saúde pediu na quinta-feira (18) ao Instituto Butantan a entrega de mais 30 milhões de doses da vacina CoronaVac. Lote se soma a pedidos anteriores da pasta que totalizam 100 milhões.

    De acordo com o governo do estado de São Paulo, a previsão é entregar as primeiras 100 milhões de doses até setembro de 2021. O ofício do ministério é assinado pelo secretário-executivo da pasta, Elcio Franco. 

    No documento, ele afirma, segundo o portal G1, que há "necessidade em expandir a aquisição de imunizantes" contra a COVID-19. Além disso, afirma que espera a "continuidade da vacinação em massa da população brasileira, junto com todos os estados e municípios".

    O secretário-executivo também pediu um cronograma de entrega das doses para o período entre os meses de outubro e dezembro deste ano. O Butantan afirmou que está avaliando a demanda. 

    Governo revê distribuição em fevereiro

    Na quinta-feira (18), governo federal anunciou que precisaria rever a distribuição das vacinas relativas ao mês de fevereiro. A meta era distribuir 11,3 milhões de doses em fevereiro - 9,3 milhões da CoronaVac e dois milhões da vacina de Oxford/AstraZeneca, importadas da Índia. No entanto, o Butantan anunciou que só conseguiria fornecer 2,7 milhões de doses. 

    Na ocasião, Helcio Franco afirmou, segundo o portal UOL, que "fica muito difícil planejar sem nós termos confirmação do que vamos receber, tudo previsto em contrato".

    O Butantan, por sua vez, acusou o governo federal de omitir fatos de conhecimento público, argumentando que "desgaste diplomático causado pelo governo brasileiro em relação à China provocou atrasos no envio da matéria-prima necessária para a produção da vacina.

    O instituto prometeu entregar mais 3,4 milhões de doses da CoronaVac a partir da próxima terça-feira (23), quando deve ficar pronto lote com 426 mil doses do imunizante. A expectativa é de que o fornecimento permita que cidades onde a vacinação foi paralisada retomem a aplicação das doses. 

    Tema:
    Brasil e COVID-19 em meados de fevereiro de 2021 (80)

    Mais:

    Texugos e coelhos podem ter sido os primeiros vetores da COVID-19 na China, diz OMS
    Morte de 2º paciente por variante do coronavírus é confirmada no Rio
    COVID-19: vacina da Pfizer tem 85% de eficácia após 1ª dose, diz estudo
    Tags:
    novo coronavírus, COVID-19, pandemia, Vacina CoronaVac, vacina, Ministério da Saúde, São Paulo, Instituto Butantan
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar