12:45 07 Março 2021
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    Brasil e COVID-19 em meados de fevereiro de 2021 (80)
    0 71
    Nos siga no

    A CoronaVac tem boa eficácia contra as variantes sul-africana e inglesa do novo coronavírus, informou nesta quarta-feira (17) o presidente do Instituto Butantan, Dimas Covas.

    Covas disse que a vacina produzida no Instituto já foi testada contra estas duas cepas e está atualmente em teste contra a variante brasileira, encontrada inicialmente em Manaus.

    "No caso da vacina do Butantan, nós já testamos lá na China essa vacina contra a variante inglesa e contra a variante sul-africana, com bons resultados. Agora nós estamos testando aqui no Butantan contra essa variante de Manaus", disse Covas, em entrevista coletiva em Serrana, município do interior do estado de São Paulo.

    A variante brasileira, chamada de P.1, é mais transmissível e já foi detectada em doze estados brasileiros: Amazonas, Bahia, Espírito Santo, Pará, Paraíba, São Paulo, Roraima, Ceará, Piauí, Santa Catarina, Rio de Janeiro e Rio Grande do Sul. Ainda não se sabe ao certo se esta variante é mais letal que as outras cepas que estão em circulação.

    "Brevemente teremos resultados e estamos muito otimistas que ela [a CoronaVac] vai conseguir dar conta do recado sim", acrescentou Covas, sobre a eficácia da vacina contra a P.1.
    Dimas Covas, diretor-geral do Instituto Butantan
    © Folhapress / Antonio Molina / Zimel Press
    Dimas Covas, diretor-geral do Instituto Butantan

    Com a vacinação em marcha lenta no Brasil, o Instituto Butantan anunciou nesta quarta-feira (17) que deverá entregar 426 mil doses da CoronaVac para o governo federal distribuir aos estados na próxima terça-feira (23). Nos oito dias seguintes, o total de doses fornecidas será de 3,4 milhões.

    O Ministério da Saúde assinou nesta segunda-feira (15) um contrato com o Butantan para a compra de mais 54 milhões de doses da CoronaVac.

    Tema:
    Brasil e COVID-19 em meados de fevereiro de 2021 (80)

    Mais:

    Anticorpos da COVID-19 protegem de reinfecção por pelo menos 9 meses, diz estudo sueco
    COVID-19: herança neandertal em cromossomo diminui necessidade de terapia intensiva, diz estudo
    Cientistas explicam causa de dores estranhas no corpo causadas por COVID-19 (FOTO)
    Cientistas investigam se COVID-19 pode contribuir para surgimento de diabete
    Tags:
    Instituto Butantan, Vacina CoronaVac, vacina, novo coronavírus, pandemia, Brasil, COVID-19
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar