08:51 01 Março 2021
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    152
    Nos siga no

    O vice-presidente, Hamilton Mourão, confirmou nesta quarta-feira (10) o fim da chamada Operação Verde Brasil 2. Segundo ele, a atuação dos militares na Amazônia se encerra no dia 30 de abril.

    Durante a quarta reunião do Conselho Nacional da Amazônia Legal (Cnal), presidido por Mourão, o vice disse que, no lugar da Verde Brasil 2, o conselho passa a trabalhar sobre o "Plano Amazônia 21/22", que terá a "colaboração das agências de fiscalização dos ministérios da Justiça, Meio Ambiente, Agricultura e Gabinete de Segurança Institucional (GSI)".

    Na prática, explica o Estado de São Paulo, os militares deixam a região para que o trabalho na floresta prossiga nas mãos dos agentes do Ibama, Instituto Chico Mendes de Biodiversidade (ICMBio), Polícia Federal e Rodoviária.

    Helicóptero do Ibama (imagem referencial).
    © Foto / Vinícius Mendonça/Divulgação/Ascom/Ibama
    Helicóptero do Ibama (imagem referencial).
    O vice-presidente afirmou que o governo considera a possibilidade de contratação de pessoal temporário para atuar nas fiscalizações ambientais, mas lembrou da situação fiscal difícil e que o assunto tem que passar antes pela área econômica do governo.

    A Operação Verde Brasil 2 começou em 15 de maio do ano passado. "Ela custou R$ 410 milhões. Não é uma operação extremamente cara", disse o vice.

    O chamado "Plano Amazônia 21/22" consiste, segundo o governo, em "quatro eixos de atuação". A saber, o plano menciona "priorização de áreas onde a ocorrência da ilicitude pode impactar de maneira mais decisiva os resultados da gestão ambiental; aumento da efetividade da fiscalização e o fortalecimento dos órgãos; contenção dos ilícitos em conformidade com a lei; e disponibilização de alternativas socioeconômicas à população dentro do princípio do desenvolvimento sustentável".

    "Nós levantamos que 70% do desmatamento e dos crimes ambientais, vamos colocar assim, ocorrem em 11 municípios. Sete estão localizados no Pará, um em Rondônia, dois no Amazonas e um no Mato Grosso. Foram elencados como as áreas prioritárias. Esse foi o eixo principal que norteou nosso Plano Amazônia", comentou Mourão.

    Carregamento de madeira extraída da Amazônia transportado em quatro embarcações sendo apreendido pela Operação Verde Brasil 2, das Forças Armadas brasileiras, no estado do Pará
    © Foto / Divulgação/Ministério da Defesa
    Carregamento de madeira extraída da Amazônia transportado em quatro embarcações sendo apreendido pela Operação Verde Brasil 2, das Forças Armadas brasileiras, no estado do Pará

    Mais:

    Macron: 'Depender da soja brasileira é endossar o desmatamento da Amazônia'
    Apesar das críticas sobre a Amazônia, Espanha está de olho nas privatizações brasileiras
    Brasil confirma caso de reinfecção por cepa 'amazônica' do novo coronavírus
    Tags:
    Exército, militares, Projeto de Monitoramento do Desmatamento na Amazônia Legal (Prodes), desmatamento, General Mourão, Amazônia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar