08:52 21 Setembro 2021
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    Brasil contra coronavírus no início de fevereiro de 2021 (64)
    160
    Nos siga no

    Esse é o segundo lote de insumos que o Butantan recebe neste ano. Ao total o Instituto Butantan já recebeu oito lotes de insumos da China. O primeiro chegou ao Brasil em 19 de novembro de 2020.

    O Instituto Butantan recebeu um novo lote de insumos vindos da China para a produção da Coronavac, vacina contra a COVID-19 desenvolvida pelo laboratório chinês SinoVac em parceria com o Butantan. A carga chegou ao Aeroporto Internacional de Guarulhos por volta de 7h30 desta quarta-feira (10).

    O lote tem 5,6 mil litros de Insumo Farmacêutico Ativo (IFA) e essa matéria-prima permitirá a produção de mais de 8,7 milhões de doses do imunizante, que serão destinadas ao Plano Nacional de Imunizações (PNI), informa Agência Brasil.

    Militares desembarcam lote da vacina Coronavac no Distrito Federal
    © Folhapress / Pedro Ladeira
    Militares desembarcam lote da vacina Coronavac no Distrito Federal

    Oitavo lote da China

    Na última quarta-feira (3), 5,4 mil litros de IFA foram recebidos em São Paulo da mesma fornecedora, suficientes para a produção de 8,6 milhões de doses da vacina Coronavac.

    Em 2020, o Instituto Butantan recebeu seis lotes com insumos da vacina. O primeiro lote com 120 mil doses chegou ao Brasil no dia 19 de novembro. O segundo carregamento, com 600 litros a granel do insumo, correspondente a um milhão de doses, desembarcou em 3 de dezembro. Com dois milhões de doses, a terceira remessa foi recebida em 18 de dezembro. Na véspera de Natal (24), São Paulo recebeu a maior carga: 5,5 milhões de doses. Em 28 de dezembro, chegou o quinto lote da vacina com 500 mil doses. E em 30 de dezembro, um novo lote com 1,5 milhão de doses da CoronaVac chegou no Aeroporto Internacional de Guarulhos, em São Paulo.

    A previsão do Butantan é receber, até abril, o total de insumos necessários para produção de 46 milhões de doses da vacina. Até a manhã desta quarta-feira (10), o estado de São Paulo tinha imunizado 1.020.106 pessoas contra a COVID-19. No Brasil, foram vacinas cerca de quatro milhões de pessoas.

    AstraZeneca no Brasil

    Na semana passada, o primeiro carregamento para a produção da vacina da AstraZeneca/Oxford contra a COVID-19 no Brasil, com cerca de 90 litros de insumos, chegou da China em um avião que aterrissou no Rio de Janeiro. De acordo com o Ministério da Saúde do Brasil, a matéria-prima é suficiente para produzir 2,8 milhões de doses da vacina.

    A carga deveria ter chegado ao Brasil em janeiro, mas sofreu atrasos em função de trâmites burocráticos na China. Segundo o Ministério da Saúde, a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) receberá mais dois carregamentos com insumos ainda em fevereiro, nos dias 23 e 28.

    O inoculante da AstraZeneca/Oxford obteve a aprovação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para o uso emergencial em 17 de janeiro de 2020, junto com a CoronaVac.

    Tema:
    Brasil contra coronavírus no início de fevereiro de 2021 (64)

    Mais:

    Brasil pretende doar 1 milhão de testes de COVID-19 quase vencidos ao Haiti
    Banco do BRICS libera R$ 5,4 bilhões ao Brasil para combate à COVID-19
    Brasil: senador José Maranhão morre aos 87 anos após contrair COVID-19
    COVID-19: Brasil chega ao 20º dia seguido com média móvel de mortes acima de 1.000
    Tags:
    Instituto Butantan, Vacina CoronaVac, novo coronavírus, COVID-19, São Paulo, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar