06:03 24 Junho 2021
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    Brasil contra coronavírus no início de fevereiro de 2021 (64)
    0 70
    Nos siga no

    A diretoria da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) decidiu nesta terça-feira (9) que as vacinas adquiridas pelo Ministério da Saúde através da COVAX Facility não precisarão de registro e de autorização temporária de uso emergencial.

    COVAX Facility é uma iniciativa liderada pela Organização Mundial de Saúde (OMS), que une mais de 150 países, criada para impulsionar o desenvolvimento e a distribuição das vacinas contra a COVID-19.

    A decisão desta terça-feira (9) permite, por exemplo, que vacinas de Oxford/AstraZeneca fabricadas em outros países possam ser compradas pelo Brasil sem precisar de uma nova autorização para uso emergencial. As informações foram publicadas pelo portal G1.

    ​Em outubro, o secretário-executivo do Ministério da Saúde, Élcio Franco, disse que o Brasil poderia receber 42 milhões de doses de vacinas do grupo. O número seria suficiente para a cobertura de 10% da população brasileira.

    A aliança COVAX vai disponibilizar ao menos duas bilhões de doses de vacinas até o fim de 2021 e 92 países pobres deverão ter acesso a 1,3 bilhão de doses ainda já no primeiro semestre deste ano.

    Tema:
    Brasil contra coronavírus no início de fevereiro de 2021 (64)

    Mais:

    CEO da Astrazeneca diz que vacina contra COVID-19 deve funcionar contra formas graves da doença
    Banco do BRICS libera R$ 5,4 bilhões ao Brasil para combate à COVID-19
    Brasil: senador José Maranhão morre aos 87 anos após contrair COVID-19
    Arábia Saudita começa testes clínicos de sua própria vacina contra COVID-19
    Freira de 116 anos, 2ª pessoa mais velha do mundo, se cura da COVID-19
    Tags:
    pandemia, imunizante, imunização, imunidade, Agência Nacional de Vigilância Sanitária, Anvisa, vacinação, vacina, novo coronavírus, Brasil, COVID-19
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar