10:09 05 Março 2021
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    0 72
    Nos siga no

    O presidente Nacional do DEM, ACM Neto, chamou nesta terça-feira (9) o deputado Rodrigo Maia (RJ), seu colega de partido, de "ingrato" por suas críticas à postura da legenda na eleição da Câmara.

    Além disso, o ex-prefeito de Salvador negou que tenha feito qualquer indicação para o governo do presidente Jair Bolsonaro, que apoiou a candidatura vitoriosa de Arthur Lira (PP-AL) à presidência da Câmara. 

    Baleia Rossi (MDB-SP), o nome apoiado pelo ex-presidente da Casa, não foi unanimidade entre os parlamentares do seu próprio partido, que, por determinação de ACM Neto, liberou o voto da bancada. 

    Em entrevista à GloboNews, o presidente do DEM disse que "as críticas serão sempre no campo político, mantendo respeito", mas chamou Rodrigo Maia de "bastante ingrato" e afirmou que suas declarações eram muito injustas.

    Para o jornal Valor Econômico, Maia disse que ACM Neto entregou o DEM "em uma bandeja ao Palácio do Planalto". 

    "Convoquei a executiva nacional para tirar aquela postura de neutralidade como forma de assegurar a integridade e a unidade do partido e para evitar um vexame para o Rodrigo Maia", disse ACM Neto. "Eu desejei que o partido integrasse o bloco do Baleia Rossi. Institucionalmente, trabalhei para isso, e Rodrigo sabe. Fizemos várias reuniões nessa direção, mas, infelizmente, e eu não posso ser maior do que o conjunto da bancada", acrescentou. 

    'Nunca tratei com o presidente'

    A bancada do DEM na Câmara, por sua vez, divulgou nota afirmando que Maia deveria fazer uma "autocrítica" sobre a eleição na Casa. 

    ACM Neto garantiu que o apoio de parte dos parlamentares do DEM não ocorreu como moeda de troca por cargos no Planalto. Após a eleição no Congresso, Rodrigo Maia foi convidado pelo governador de São Paulo, João Doria, a se filiar ao PSDB. O parlamentar já sinalizou que deve mesmo deixar o DEM, afirmando que a legenda se voltou para a extrema-direita.

    "Eu nunca tratei com o presidente da República nem com o Palácio do Planalto sobre eleição na Câmara dos Deputados. Sempre deixei claro tanto para Bolsonaro, quanto para os seus ministros, que eu não participaria de indicação de ministros para o governo. Eu não quero indicar um porteiro, um servente para o governo, imagine participar da indicação de ministro", disse. 

    Mais:

    Quem tem medo do DEM? Partido de direita sai fortalecido de eleições municipais brasileiras
    Maia avalia abrir processo de impeachment contra Bolsonaro, diz mídia
    Rodrigo Maia diz que não abrirá pedidos de impeachment contra Bolsonaro
    Tags:
    Jair Bolsonaro, Congresso, Câmara dos Deputados, DEM, Rodrigo Maia, Arthur Lira
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar