01:23 07 Março 2021
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    Brasil contra coronavírus no início de fevereiro de 2021 (64)
    5322
    Nos siga no

    O Ministério da Saúde anunciou nesta sexta-feira (5) a intenção de comprar 10 milhões de doses da vacina russa Sputnik V. A aquisição ainda depende da aprovação do uso emergencial pela Anvisa.

    De acordo com o secretário-executivo do Ministério da Saúde, Elcio Franco, a aquisição de 10 milhões de doses da vacina está condicionada a um "preço plausível" e à liberação do uso emergencial pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

    "Iremos contratar e comprar 10 milhões de doses se o preço for plausível, e efetuaremos o pagamento após a Anvisa dar a autorização para uso emergencial da Sputnik V fazendo a disponibilização imediatamente aos brasileiros", disse.

    O secretário-executivo também afirmou que o governo pretende comprar doses a serem fabricadas no Brasil. O imunizante seria produzido pela farmacêutica União Química, em uma fábrica no Distrito Federal. 

    "E futuramente, a depender dos entendimentos que tivermos com a União Química, interessa-nos também adquirir a produção que a empresa vier a fazer no Brasil dessa vacina", acrescentou Elcio Franco.

    Funcionários da União Química trabalham em produção-piloto dos insumos da vacina russa contra a COVID-19, Sputnik V, em Brasília, 25 de janeiro de 2021
    © AP Photo / Eraldo Peres
    Funcionários da União Química trabalham em produção-piloto dos insumos da vacina russa contra a COVID-19, Sputnik V, em Brasília, 25 de janeiro de 2021

    Na última quarta-feira (3), a Anvisa anunciou a alteração nos requisitos mínimos para a aprovação de pedidos de uso emergencial de vacinas contra a COVID-19, abrindo caminho para a vacina russa Sputnik V. Com a mudança, o uso emergencial não será condicionado pela exigência de que testes de vacinas na fase três sejam realizados no Brasil.

    A realização de testes no Brasil vinha sendo um obstáculo para a autorização da vacina russa no país.

    Tema:
    Brasil contra coronavírus no início de fevereiro de 2021 (64)

    Mais:

    COVID-19 na América Latina: Nicarágua aprova a Sputnik V e Colômbia dá sinal verde para a CoronaVac
    Paraguai anuncia assinatura de contrato com Rússia para aquisição da Sputnik V
    Secretário de Estado dos EUA parabenizou a Rússia pela eficácia da Sputnik V, diz Lavrov
    Tags:
    Ministério da Saúde, pandemia, novo coronavírus, COVID-19, vacina, Sputnik V, Rússia, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar