06:12 24 Julho 2021
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    Brasil lidando contra COVID-19 no final de janeiro de 2021 (92)
    2160
    Nos siga no

    Os representantes da farmacêutica brasileira União Química mantiveram uma reunião nesta quinta-feira (21) com a Agência Nacional de Vigilância Sanitária do Brasil (Anvisa) para trocar informações sobre a vacina russa Sputnik V.

    Em um comunicado, a Anvisa informou que, durante o encontro, houve "troca de informações" e que a farmacêutica brasileira reafirmou seu interesse "em cumprir todas as etapas regulatórias exigidas pela Anvisa para avançar com os estudos clínicos no Brasil".

    Não obstante, a União Química não apresentou durante a reunião nenhum pedido de uso emergencial da vacina, nem foram apresentados novos documentos para obter a autorização dos testes clínicos no Brasil.

    O fato de não estarem ocorrendo testes clínicos de fase III do imunizante em voluntários no Brasil é o principal impedimento para a autorização do uso da vacina russa no país, já que trata-se de um requisito indispensável para a agência reguladora brasileira.

    Os representantes da União Química afirmaram pouco antes do encontro que, se a Sputnik V fosse autorizada no Brasil, o país poderia começar a receber de imediato dez milhões de doses do imunizante.

    Tema:
    Brasil lidando contra COVID-19 no final de janeiro de 2021 (92)

    Mais:

    Hungria aprova vacina da AstraZeneca e a Sputnik V
    OMS iniciará em 22 de janeiro procedimento de pré-registro da Sputnik V, diz MRE russo
    Alberto Fernández, presidente da Argentina, recebe 1ª dose da Sputnik V (FOTO, VÍDEO)
    Tags:
    COVID-19, Rússia, vacina, Agência Nacional de Vigilância Sanitária, Brasil, Sputnik V
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar