08:58 28 Julho 2021
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    Brasil lidando contra COVID-19 no final de janeiro de 2021 (92)
    5261
    Nos siga no

    O governo da Índia liberou as exportações comerciais de vacinas produzidas pelo Instituto Serum contra a COVID-19. As primeiras remessas, cerca de dois milhões de doses, serão enviadas para Brasil e Marrocos na sexta-feira (22).

    A Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) confirmou a notícia e disse que os imunizantes estarão prontos para uso no sábado (23) à tarde, após checagem de qualidade e segurança. As vacinas desenvolvidas pela farmacêutica britânica AstraZeneca e pela Universidade de Oxford estão sendo fabricadas no Instituto Serum da Índia, o maior produtor mundial de vacinas, cujas instalações foram atingidas por um incêndio nesta quinta-feira (21).

    Nas últimas semanas, o Brasil (e também outros países) foi pego de surpresa com a suspensão da exportação de doses contra a COVID-19 pelo governo indiano.

    A Índia, na época, disse que não exportaria vacinas até iniciar seu próprio programa doméstico de imunização, o que aconteceu no fim de semana passado. Já no início desta semana, o país enviou suprimentos gratuitos para seus vizinhos, incluindo Butão, Maldivas, Bangladesh e Nepal.

    ​O ministro das Relações Exteriores da Índia, Harsh Vardhan Shringla, ouvido pela Reuters, disse que o fornecimento comercial da vacina começaria nesta sexta-feira (22), de acordo com o compromisso do primeiro-ministro Narendra Modi.

    "Seguindo essa visão, respondemos positivamente aos pedidos de fornecimento de vacinas manufaturadas indianas de países de todo o mundo, começando pelos nossos vizinhos", disse ele, referindo-se aos suprimentos gratuitos.

    "O fornecimento das quantidades comercialmente contratadas também começará a partir de amanhã [22], começando pelo Brasil e Marrocos, seguidos pela África do Sul e Arábia Saudita", acrescentou.

    Funcionários descarregam caixas com vacina desenvolvida pela AstraZeneca e produzida no instituto Serum, na Índia
    © REUTERS / Amit Dave
    Funcionários descarregam caixas com vacina desenvolvida pela AstraZeneca e produzida no instituto Serum, na Índia

    Tema:
    Brasil lidando contra COVID-19 no final de janeiro de 2021 (92)

    Mais:

    EUA revelam estratégia de contenção da China focada na ascensão da Índia como contrapeso a Pequim
    Exército da Índia exibe enxames de drones e equipamentos militares em desfile (VÍDEOS)
    Vacina da Índia: 'Há possibilidade de Brasil ficar no fim da fila', alerta especialista
    Agora vice, depois presidente: familiares celebram posse de Kamala Harris da Índia
    Tags:
    vacina, exportação, Oxford, Universidade de Oxford, Marrocos, COVID-19, vacinação, Índia, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar