05:50 06 Março 2021
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    COVID-19 no Brasil em meados de janeiro de 2021 (97)
    0 30
    Nos siga no

    O Conselho Nacional de Saúde (CNS), órgão da estrutura do Ministério da Saúde, pediu para serem retiradas todas as orientações do governo recomendando tratamento precoce para COVID-19. 

    A entidade enviou ofício à pasta solicitando a "revogação de qualquer instrumento (Nota Técnica, Nota Informativa, Orientações, Protocolos ou Ofícios) que possa indicar o tratamento precoce com a aplicação de medicamentos cuja eficácia e segurança para a COVID-19 não está estabelecida cientificamente e nem aprovada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa)".

    O CNS cita que, em entrevista coletiva concedida na segunda-feira (18), o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, afirmou que o governo não recomenda "tratamento precoce", e sim "atendimento precoce" - o acolhimento em unidades de saúde aos pacientes desde os primeiros sintomas da doença.

    No entanto, o Conselho lembra que o Ministério da Saúde, logo após a saída de Nelson Teich da chefia da pasta, publicou nota informativa que autoriza o tratamento precoce para COVID-19, indicando o manuseio de cloroquina e a hidroxicloroquina. 

    ​Além disso, o CNS diz que o governo tem distribuído hidroxicloroquina aos estados para o tratamento da COVID-19. Segundo o jornal Folha de S.Paulo, o governo montou uma força-tarefa para ir a Manaus no início do ano, dias antes do sistema de saúde da cidade entrar em colapso por falta de oxigênio, fazendo pacientes com coronavírus morrerem. 

    Membros da comitiva teriam defendido na cidade a distribuição de ivermectina e hidroxicloroquina, e se queixado da não adoção do tratamento precoce. 

    Aplicativo do governo receita cloroquina

    Além disso, o aplicativo TrateCov, lançado pelo Ministério da Saúde para orientar médicos no enfrentamento da COVID-19, recomenda o que chama de "tratamento precoce" a pacientes que podem ter sido ou não infectados pela doença. Entre a lista de remédios estão substâncias como cloroquina, azitromicina e ivermectina. 

    Segundo Débora Melecchi, coordenadora da Comissão Internacional de Ciência, Tecnologia e Assistência Farmacêutica do CNS, "existem estudos comprovando que a cloroquina, a ivermectina e a azitromicina são completamente ineficazes para o tratamento da COVID-19, precoce ou em si". 

    Tema:
    COVID-19 no Brasil em meados de janeiro de 2021 (97)

    Mais:

    Bolsonaro diz que Força Aérea cumpriu missão de entregar vacinas no dia 'D-1'
    Governadores pedem que Bolsonaro converse com China para garantir insumos para vacina
    Maia diz que não há obstáculo político para envio de insumos chineses das vacinas contra COVID-19
    Tags:
    tratamento, novo coronavírus, COVID-19, pandemia, Brasil, Hidroxicloroquina, Ministério da Saúde
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar