09:10 20 Setembro 2021
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    COVID-19 no Brasil em meados de janeiro de 2021 (97)
    170
    Nos siga no

    O secretário de Saúde do estado de São Paulo, Jean Gorinchteyn, disse nesta segunda-feira (18) que a vacinação só terá impacto nos casos do coronavírus em seis meses. 

    Neste domingo (17), após as vacinas CoronaVac e Oxford/AstraZeneca terem registro para uso emergencial aprovado no Brasil pela Anvisa, a vacinação começou no país. 

    A primeira pessoa a ser imunizada foi a enfermeira Mônica Calazans, de 54 anos, que trabalha na UTI do Instituto de Infectologia Emílio Ribas, na capital paulista. 

    Em entrevista ao jornal Folha de S.Paulo, Gorinchteyn disse que os efeitos da imunização só começarão a ser sentidos com a vacinação dos grupos vulneráveis.

    Ele afirmou ainda que a vacinação dos profissionais de saúde tem o objetivo de não impactar o atendimento em um momento em que os números de casos estão crescendo. 

    "Para a gente ter um impacto real da vacinação, nós precisaríamos já estar vacinando grupos vulneráveis. Entende-se que, hoje, vacinar os profissionais da saúde, que muitas vezes são profissionais de idades até não tão avançadas, é a garantia de assistência à saúde, para que a gente não perca essa força motriz na assistência, principalmente em um momento em que a amplitude no número de casos e internações é maior", disse o secretário.

    1.030 vacinados em SP

    O infectologista disse também que, se todos os idosos acima de 60 anos fossem vacinados rapidamente, o número de internações diminuiria em cerca de dois a três meses. Mas, como o processo é mais lento, os efeitos esperados devem demorar seis meses. 

    "Por outro lado, mesmo que a gente hoje vacinasse todos os idosos de forma abrupta, acima de 60 anos, nós teríamos 10% da nossa população imunizada. A gente veria o impacto disso de dois a três meses no número de internações e gravidade de doença, só. Mas, infelizmente, vamos começar ainda de uma forma muito lenta e gradual. Portanto, talvez a gente comece a ter alguma sensibilidade daqui a uns seis meses", afirmou. 

    Em dois dias, 1.030 profissionais de saúde já receberam doses da vacina CoronaVac no estado de São Paulo. A maioria é formada por enfermeiros e técnicos de enfermagem. Cerca de 850 pessoas foram vacinadas no Hospital das Clínicas da capital paulista e os demais no interior do estado.

    Até o final da noite de segunda-feira (18), a imunização já havia começado em 16 estados brasileiros. 

    Tema:
    COVID-19 no Brasil em meados de janeiro de 2021 (97)

    Mais:

    Um dia após vacinas serem aprovadas, Brasil passa de 210 mil mortos pela COVID-19
    Vacina da Índia: 'Há possibilidade de Brasil ficar no fim da fila', alerta especialista
    Doria ganha capital político com vacina, mas caminho é longo até 2022, opina analista
    Tags:
    novo coronavírus, pandemia, COVID-19, São Paulo, vacina, saúde, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar