02:12 01 Março 2021
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    COVID-19 no Brasil em meados de janeiro de 2021 (97)
    4341
    Nos siga no

    A enfermeira Mônica Calazans, de 54 anos, foi a primeira pessoa vacinada oficialmente contra a COVID-19 no Brasil. Ela recebeu o imunizante CoronaVac, neste domingo (17), em São Paulo, após a aprovação emergencial de duas vacinas pela Anvisa.

    Nesta tarde, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária aprovou, por unanimidade, o uso emergencial das vacinas  CoronaVac, desenvolvida no Brasil pelo Instituto Butantan com o laboratório chinês Sinovac, e AstraZeneca, desenvolvida pela Universidade de Oxford em colaboração com Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz).

    Pouco depois da liberação das vacinas, o governo de São Paulo aplicou a primeira dose da CoronaVac em Calazans, primeira pessoa a receber o imunizante fora dos estudos clínicos no país. Ela faz parte do chamado grupo de risco e trabalha na UTI do Instituto de Infectologia Emílio Ribas, na capital paulista. 

    Segundo coluna da jornalista Mônica Bergamo na Folha, a enfermeira trabalha em dias alternados, em escalas de 12 horas, na UTI do hospital, que tem 60 leitos exclusivos para pacientes de COVID-19.

    Antes de se tornar enfermeira, Calazans trabalhou por 26 anos como auxiliar de enfermagem. Fez faculdade mais tarde, se formando aos 47 anos. Ela é viúva e mora com o filho de 30 anos, ao mesmo tempo em que cuida da mãe, de 72, que vive sozinha em outra residência.

    Tema:
    COVID-19 no Brasil em meados de janeiro de 2021 (97)

    Mais:

    Índia dá início à 'maior campanha de vacinação do mundo' contra a COVID-19
    Pulmões após COVID-19 apresentam maiores danos que 'pulmões dos fumantes inveterados', diz cirurgiã
    Quem se cura da COVID-19 obtém imunidade, mas continua podendo transmitir SARS-CoV-2, segundo estudo
    Tags:
    Fiocruz, Instituto Butantan, Anvisa, imunizante, novo coronavírus, COVID-19, vacina, Vacina CoronaVac, São Paulo, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar