23:06 25 Fevereiro 2021
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    COVID-19 no Brasil em meados de janeiro de 2021 (97)
    141
    Nos siga no

    Após aprovar a CoronaVac, a Gerência-Geral de Medicamentos da Anvisa recomendou o uso da vacina de Oxford/AstraZeneca contra a COVID-19 para uso emergencial.

    Mais uma vez citando os riscos da vacina, o gerente-geral de medicamentos e produtos biológicos da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), Gustavo Mendes, recomendou neste domingo (17) a autorização para uso emergencial da vacina contra a COVID-19 da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), produzida em parceria com a farmacêutica britânica AstraZeneca e a Universidade de Oxford.

    As informações foram confirmadas pelo Estado de São Paulo.

    Ao longo de sua exposição, Mendes apontou algumas incertezas sobre a vacina, entre elas a baixa quantidade de idosos testados. Ainda assim, o gerente recomendou a aprovação do uso emergencial da vacina de Oxford "condicionada ao monitoramento das incertezas e reavaliação periódica".

    ​Em reunião da Agência Nacional de Vigilância Sanitária neste domingo (17) também foi recomendada a aprovação do uso emergencial da vacina Coronavac, desenvolvida pelo Instituto Butantan.

    As recomendações foram feitas os cinco diretores colegiados, que darão a palavra final sobre a autorização do uso emergencial das vacinas através de votação, que ocorrerá ainda neste domingo. Antes, outros pareceres técnicos sobre os imunizantes serão apresentados.

    Tema:
    COVID-19 no Brasil em meados de janeiro de 2021 (97)

    Mais:

    Vacinas de Oxford/AstraZeneca importadas da Índia vão custar R$ 59,4 milhões à Fiocruz
    Bolsonaro envia carta à Índia pedindo entrega urgente de doses da vacina de Oxford
    Brasil precisa de lockdown nacional, diz pesquisador de Oxford
    Tags:
    COVID-19, Anvisa, Brasil, vacinação, vacina, Universidade de Oxford
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar