10:23 24 Junho 2021
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    121
    Nos siga no

    Hoje (17) é o primeiro dia de provas do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio), que decorre em meio à nova onda de infecções que assola o Brasil, e depois de quase um ano de ensino à distância.

    Aproximadamente 5,6 milhões de pessoas se inscreveram na versão impressa do exame, que tem neste domingo (17) seu primeiro dia, incluindo as provas de Linguagens, Ciências Humanas e Redação, com uma duração de cinco horas e 30 minutos. O segundo dia das provas está marcado para o próximo domingo (24 de janeiro).

    Um pequeno número de estudantes poderá realizar o exame em versão digital, nos dias 31 de janeiro e 7 de fevereiro. O Ministério da Educação (MEC) pretende tornar o Enem 100% digital até 2026.

    Devido à pandemia da COVID-19, algumas precauções adicionais devem ser tomadas pelos candidatos que farão as provas presenciais.

    Diferentemente das edições anteriores, os portões serão abertos mais cedo, às 11h30, para evitar a aglomeração de pessoas. Além disso, o uso de máscara de proteção facial é obrigatório a todos os participantes e acompanhantes de mães que estiverem amamentando.

    O estado do Amazonas teve a aplicação da prova do Enem suspensa pela Justiça Federal, enquanto durar o estado de calamidade pública decretado pelo poder executivo estadual devido ao surto de casos da COVID-19.

    Candidatos esperam para início de prova do vestibular da Fuvest, em São Paulo, realizada no dia 11 de janeiro, uma semana antes do Enem
    © Folhapress / Leandro Ferreira /Fotoarena
    Candidatos esperam para início de prova do vestibular da Fuvest, em São Paulo, realizada no dia 11 de janeiro, uma semana antes do Enem

    Na sexta-feira (8), a Defensoria Pública da União pediu à Justiça o adiamento da aplicação do exame sob o argumento de que não há forma segura de realizar as provas em meio ao aumento de casos da COVID-19. Entidades ligadas ao setor educacional, como a UNE, enviaram uma carta ao ministro da Educação, Milton Ribeiro, pedindo a mudança da data.

    Muitos alunos também pediram a remarcação da prova, alegando riscos desnecessários e falta de segurança sanitária. A decisão da Justiça, no entanto, considera que as medidas anunciadas pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) garantirão a segurança dos candidatos.

    Além disso, o instituto informou que estudantes que estiverem contaminados com coronavírus poderão realizar o exame em fevereiro. O posicionamento foi apresentado na sexta-feira (8) por meio da Advocacia Geral da União à Justiça Federal.

    O Inep também anunciou que, nos municípios em que as autoridades decidirem adiar o Enem, a prova será aplicada nos dias 23 e 24 de fevereiro.

    Além do medo da COVID-19, os candidatos do Enem enfrentam questões psicológicas e dificuldades de acesso à Internet em um ano marcado pelo isolamento social e pelo ensino remoto.

    Mais:

    Senado aprova texto-base para adiamento do Enem
    Enem realizado nos termos de Weintraub não deve ter validade, diz especialista
    Enem será adiado 'de 30 a 60 dias', decide Ministério da Educação
    Tags:
    Brasil, ENEM, Enem, provas, estudantes
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar