09:54 20 Junho 2021
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    COVID-19 no Brasil em meados de janeiro de 2021 (97)
    0 17
    Nos siga no

    O Brasil não deve ter ainda em janeiro o número de doses necessárias para imunizar os grupos prioritários da primeira fase de vacinação do plano desenhado pelo Ministério da Saúde.

    Conforme publicou o jornal Folha de São Paulo, o Brasil terá em janeiro apenas 30% das doses previstas pelo Ministério da Saúde para a realização da primeira fase da vacinação.

    A primeira fase de imunização pretende vacinar grupos prioritários - profissionais da saúde, idosos acima de 75 anos ou de asilos, a população indígenas e os povos ribeirinhos. No total, o grupo tem cerca de 14,8 milhões de pessoas.

    Se no domingo (17) a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovar os pedidos de uso emergencial de vacinas realizados pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) e pelo Instituto Butantan, o Brasil só terá o suficiente para imunizar cinco milhões de pessoas.

    Eduardo Pazuello, ex-ministro da Saúde, faz pronunciamento à imprensa.
    © Folhapress / Cláudio Reis/FramePhoto
    Eduardo Pazuello, ex-ministro da Saúde, faz pronunciamento à imprensa.

    Ainda segundo a publicação, especialistas acreditam que isso fará com que o Ministério da Saúde precise redesenhar o plano de vacinação para criar novas prioridades diante da escassez de doses das vacinas, que precisam ser aplicadas duas vezes. Por isso, conforme o jornal, a pasta deve priorizar profissionais de saúde, idosos que vivem em asilos e indígenas de aldeias.

    O número de doses disponíveis pode ser ainda menor, uma vez que não se sabe quando chegarão os dois milhões doses da vacina AstraZeneca/Oxford a serem importadas da Índia, cujo governo negou a liberação imediata. Outros seis milhões de doses da CoronaVac, desenvolvida pela farmacêutica chinesa Sinovac junto ao Butantan, já estão no Brasil.

    Segundo o Ministério da Saúde, já foram fechados acordos que garantem 354 milhões de doses ao longo do ano, porém, a pasta ainda não divulgou a data exata do início da imunização no país, apesar da expectativa de que a vacinação tenha início na quarta-feira (20).

    Agente da Saúde se emociona durante colapso no sistema de saúde do estado do Amazonas, no hospital Getúlio Vargas, Manaus, 14 de janeiro de 2021
    © REUTERS / Bruno Kelly
    Agente da Saúde se emociona durante colapso no sistema de saúde do estado do Amazonas, no hospital Getúlio Vargas, Manaus, 14 de janeiro de 2021

    Enquanto isso, o país vê os números de casos e mortes crescerem. Apenas neste sábado (16), 1.059 novos óbitos foram registrados no Brasil. No total, conforme os dados da mais recente atualização do consórcio de veículos de imprensa, o país tem mais de 209 mil mortes por COVID-19, além de quase 8,5 milhões de casos da doença.

    Em algumas regiões a situação já é crítica. É o caso do estado do Amazonas, que viu seus estoques de oxigênio acabarem na quinta-feira (14) em meio a um pico de letalidade da doença. Diante do colapso no sistema de saúde local, o governo do estado decretou toque de recolher na região de Manaus, além do fechamento do comércio.

    Tema:
    COVID-19 no Brasil em meados de janeiro de 2021 (97)

    Mais:

    Butantan anuncia que finalizou entrega de documentos sobre vacina CoronaVac à Anvisa
    'Ainda sabemos pouco sobre nova variante de coronavírus encontrada no Amazonas', diz especialista
    Brasil confirma caso de reinfecção por cepa 'amazônica' do novo coronavírus
    Tags:
    Ministério da Saúde, Amazonas, Brasil, COVID-19
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar