22:45 25 Fevereiro 2021
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    COVID-19 no Brasil em meados de janeiro de 2021 (97)
    230
    Nos siga no

    Como consequência da falta de oxigênio em Manaus, 60 bebês prematuros, internados em unidades de tratamento intensivo para recém-nascidos, terão de ser transferidos para outros estados.

    Eles serão transferidos em aviões da Força Aérea Brasileira. Nove dos bebês serão recebidos pelo Maranhão, e devem chegar nesta tarde à cidade de Imperatriz.

    "A secretaria informa que os recém-nascidos serão transferidos a partir da autorização dos pais e serão acompanhados pelas mães. Técnicos da secretaria estão trabalhando no planejamento da logística de transferência e o quantitativo está sendo avaliado de acordo com as condições clínicas", disse em comunicado a Secretaria de Estado de Saúde do Amazonas, segundo a Folha.

    A Folha informa ainda que apurou que o governo do Amazonas consultou outros estados para saber quais teriam disponibilidade de receber os bebês para a internação.

    Além do Maranhão, São Paulo foi outro estado que já se prontificou a oferecer ajuda. O governador do estado, João Doria, disponibilizou leitos, tubos de oxigênio e respiradores para a capital do Amazonas.

    "Muitos estão sob risco de morte dado ao fato de que falta oxigênio nos hospitais do estado do Amazonas. Diante desta tragédia e da falta de compaixão e de ação do governo federal, todos os estados estão ajudando, e São Paulo não falta nesta ajuda", disse o governador.

    Doria anunciou o suporte a Manaus pelo Twitter, divulgando a produção de respiradores feitos em São Paulo, em parceria entre a Universidade de São Paulo (USP) e o governo do estado.

    O estado do Amazonas enfrenta graves problemas como a falta de leitos e de cilindros de oxigênio em hospitais, cruciais para o tratamento de pacientes com COVID-19. Nesta sexta-feira (15), a Força Aérea Brasileira começou a transferir alguns pacientes de COVID-19 para outros estados, e também disponibilizou aeronaves de carga, como o C-130 Hércules, para levar cilindros de oxigênio para a capital amazonense.

    Também nesta sexta-feira (15), o presidente Jair Bolsonaro isentou o governo federal de culpa pelo colapso do sistema hospitalar do Amazonas: "A gente está sempre fazendo o que tem que fazer, né? Problema em Manaus: terrível o problema lá, agora nós fizemos a nossa parte". 

    Tema:
    COVID-19 no Brasil em meados de janeiro de 2021 (97)

    Mais:

    Imperial College: 76% da população de Manaus teve a COVID-19
    Sem avião para levar oxigênio a Manaus, Brasil pede ajuda aos EUA, diz site
    Com chuva e umidade aparecem 'complicações respiratórias', diz Pazuello sobre a COVID-19 em Manaus
    'Governo está fazendo além do que pode', diz Mourão sobre colapso da saúde em Manaus
    Tags:
    pandemia, governo federal, Jair Bolsonaro, saúde, estados, São Paulo, Manaus, Amazonas, João Doria, novo coronavírus, COVID-19
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar