01:52 28 Outubro 2021
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    2410
    Nos siga no

    O presidente da França, Emmanuel Macron, criticou a política ambiental brasileira nesta terça-feira (12), declarando que os países europeus precisam produzir soja para não depender da importação do Brasil.

    Em publicação nas redes sociais, o presidente francês defendeu a produção da soja na Europa, destacando que "continuar dependendo da soja brasileira é endossar o desmatamento da Amazônia".

    ​Continuar dependendo da soja brasileira seria endossar o desmatamento da Amazônia.
    Somos coerentes com nossas ambições ecológicas, estamos lutando para produzir soja na Europa!

    A declaração do presidente francês aparece no contexto em que estão em andamento as negociações para um acordo comercial entre a União Europeia e o Mercosul. A política ambiental do Brasil é vista como um obstáculo para o acerto entre as partes.

    "Quando importamos a soja produzida a um ritmo rápido a partir da floresta destruída no Brasil, nós não somos coerentes [...]. Nós precisamos da soja brasileira para viver? Então nós vamos produzir soja europeia ou equivalente", acrescentou Macron. 

    O líder francês já manifestou diversas críticas em relação à política ambiental brasileira. Em agosto de 2019, Macron classificou os incêndios na Amazônia como "crise internacional". O presidente Jair Bolsonaro, por sua vez, diversas vezes reagiu aos comentários do colega francês, acusando Macron de promover interferência externa e ameaçar a soberania brasileira. 

    Mais:

    Especialistas não acreditam que alta na exportação da soja afete segurança alimentar no Brasil
    Macron aparece pela 1ª vez desde teste positivo para coronavírus
    Piores índices de desmatamento na Amazônia registrados pelo Deter são do governo Bolsonaro
    Militares brasileiros apreendem madeira extraída ilegalmente da Amazônia
    Tags:
    França, Brasil, Emmanuel Macron, Jair Bolsonaro, Amazônia, desmatamento
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar