03:48 28 Janeiro 2021
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    COVID-19 no Brasil em meados de janeiro de 2021 (97)
    4141
    Nos siga no

    O governo de São Paulo anunciou, nesta terça-feira (12), que a eficácia global da CoronaVac, vacina contra a COVID-19 desenvolvida em parceria da farmacêutica chinesa Sinovac com o Instituto Butantan, é de 50,38%.

    A divulgação do percentual de eficácia foi feita pelo secretário estadual de Saúde, Jean Gorinchteyn, pelo diretor do Instituto Butantan, Dimas Covas, e por integrantes do Centro de Contingência de combate ao coronavírus no estado de São Paulo. O governador João Doria (PSDB) não participou da cerimônia.

    O índice de 50,38% se refere à eficácia global, ou seja, a capacidade da vacina de proteger em todos os casos: leves, moderados ou graves.

    "Essa vacina tem segurança, tem eficácia, e todos os requisitos que justificam o uso emergencial", disse Dimas Covas, citado pelo portal G1.

    O Butantan pediu na última sexta-feira (8) autorização para o uso emergencial da CoronaVac à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

    O diretor de pesquisa do Instituto Butantan, Ricardo Palácios, lembrou que o imunizante atingiu 78% de eficácia em casos leves e 100% em casos graves e moderados.

    "A gente tinha previsto que a vacina tinha que ter uma eficácia menor em casos mais leves e uma eficácia maior em casos moderados e graves, e nós conseguimos demonstrar esse efeito biológico esperado. Esta é uma vacina eficaz. Temos uma vacina que consegue controlar a pandemia através desse efeito esperado que é a diminuição da intensidade da doença clínica", afirmou.

    Cerca de 12.500 profissionais de saúde em 16 centros de pesquisa se voluntariaram para fazer os testes do imunizante no Brasil.

    Tema:
    COVID-19 no Brasil em meados de janeiro de 2021 (97)

    Mais:

    Rio de Janeiro recebe 10 mil testes de COVID-19 e pretende começar exames
    COVID-19 não vai embora fácil: revelado quanto tempo maioria dos infectados sente sintomas
    Será preciso refazer vacina contra COVID-19 por causa de mutações? Epidemiologista responde
    Marcelo Rebelo de Sousa, presidente de Portugal, testa positivo para COVID-19
    Variante única de mutação da COVID-19 é descoberta em mulher russa por cientistas
    Tags:
    imunização, imunizante, imunidade, Instituto Butantan, São Paulo, Vacina CoronaVac, vacinação, vacina, novo coronavírus, COVID-19
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar