08:19 07 Maio 2021
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    Coronavírus no Brasil no início de janeiro de 2021 (57)
    3104
    Nos siga no

    Dimas Covas, diretor-geral do Instituto Butantan, confirmou neste sábado (9) que todas as doses da vacina já produzidas no instituto serão adquiridas pelo governo federal, segundo o portal G1.

    De acordo com Dimas Covas, todas as doses da CoronaVac, o imunizante desenvolvido pelo laboratório chinês Sinovac em parceria com o Butantan, serão incorporadas no Plano Nacional de Imunização (PNI) e o governo federal ficará responsável por gerenciar o calendário de distribuição das vacinas em todo o território nacional.

    "Ontem de noite tive reunião com os técnicos do Ministério da Saúde. No momento, o Butantan tem seis milhões de doses e serão incorporadas pelo ministério, a medida que houver liberação do uso emergencial. Essas vacinas serão distribuídas por todos os estados de forma proporcional, obedecendo critérios demográficos e número de pessoas nas faixas de risco. Todos os estados serão atendidos", disse Dimas Covas, segundo o G1.

    Segundo o diretor-geral do Butantan, as doses da CoronaVac serão acrescidas de mais dois milhões da AstraZeneca, produzidas pela Fiocruz, o que proporcionará oito milhões de doses para o governo iniciar a campanha de vacinação ainda em janeiro.

    Além disso, Dimas Covas assinalou que o Butantan e o Ministério da Saúde esperam iniciar a distribuição do imunizante em até 48 horas após a aprovação do uso emergencial pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

    "Espera-se que isso comece tão logo a Anvisa libere. Em 24 a 48h depois que a Anvisa liberar, eles já teriam condição de começar a vacinação", declarou.

    Ministério da Saúde anuncia que distribuirá CoronaVac a todos os estados

    O Ministério da Saúde informou mais cedo neste sábado (9) que fechou um acordo com o Instituto Butantan para distribuir as vacinas contra a COVID-19 com exclusividade para todos os estados através do Sistema Único de Saúde (SUS).

    Segundo a pasta, a campanha de imunização contra o novo coronavírus no Brasil deve começar assim que os imunizantes forem autorizados pela agência reguladora.

    Tema:
    Coronavírus no Brasil no início de janeiro de 2021 (57)

    Mais:

    Estudo feito no Brasil aponta que vacina CoronaVac tem eficácia de 78% contra COVID-19, diz jornal
    Butantan oficializa pedido de registro de CoronaVac à Anvisa
    RJ: Paes pretende comprar 3,2 milhões de doses da CoronaVac e iniciar vacinação 25 de janeiro
    Tags:
    Vacina CoronaVac, Brasil, COVID-19, Instituto Butantan
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar