12:58 21 Janeiro 2021
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    Brasil luta contra COVID-19 no final de dezembro (60)
    1312
    Nos siga no

    O presidente Jair Bolsonaro cobrou nesta segunda-feira (28) dos fabricantes de vacinas contra COVID-19 que apresentem os pedidos de registro dos imunizantes à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

    Segundo Bolsonaro, a responsabilidade de tornar as vacinas disponíveis é dos laboratórios, e não dele.

    "O Brasil tem 210 milhões de habitantes, um mercado consumidor de qualquer coisa enorme. Os laboratórios não tinham que estar interessados em vender para a gente? Por que eles não apresentam documentação na Anvisa?", perguntou Bolsonaro a um grupo de apoiadores no Palácio da Alvorada, em Brasília.

    A fala de Bolsonaro ocorre no momento em que o governo brasileiro está sendo cobrado por só prever a vacinação contra COVID-19 para o final de fevereiro, enquanto alguns países da América Latina, como México, Argentina e Chile, já começaram a imunizar sua população.

    "Pessoal diz que eu tenho que ir atrás. Não, quem quer vender [que tem]. Se sou vendedor, eu quero apresentar", afirmou Bolsonaro.

    O presidente também voltou a falar que as empresas fabricantes de vacina não se responsabilizam por eventuais efeitos colaterais, e que ele mesmo não vai tomar a vacina. As informações foram publicadas pelo jornal O Estado de S.Paulo.

    "Agora, quem já foi contaminado, como eu, tem que tomar de novo?", disse o presidente.

    Tema:
    Brasil luta contra COVID-19 no final de dezembro (60)

    Mais:

    Centro Gamaleya: vacinação combinada da Sputnik V com AstraZeneca gerará imunidade por 2 anos
    Petrobras aumenta preço do diesel em 4% e gasolina em 5%
    Luiz Fux exonera servidor que tentou reservar vacinas para ministros do STF
    STF deixa Lula acessar mensagens trocadas entre Moro e Deltan obtidas por hackers
    Tags:
    pandemia, imunizante, imunização, imunidade, vacinação, vacina, novo coronavírus, Jair Bolsonaro, COVID-19
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar