15:57 16 Maio 2021
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    Resultados de 2020, o pior ano da história, e esperanças para 2021 (14)
    0 103
    Nos siga no

    Apesar de todas as dificuldades vividas pelo Brasil e pelo mundo em 2020, também houve boas notícias no país. A Sputnik Brasil separou alguns motivos que mostram que, mesmo em meio ao caos, há boas notícias para serem celebradas pelos brasileiros.

    Para a maioria das pessoas, 2020 vai ficar marcado pelas notícias tristes que a humanidade precisou enfrentar. A mais grave crise sanitária do século já deixa mais de 190 mil mortos no Brasil, além de trazer consequências indiretas como o receio da volta à pobreza e do desemprego para milhões de famílias.

    No entanto, sempre é possível olhar o copo pelo lado meio cheio, ou pelo menos valorizar o que teve de bom neste ano para o país. Brasileiros viram ações de solidariedade se multiplicarem nas favelas das grandes cidades, puderam também ver a força da ciência, a resistência do Sistema Único de Saúde (SUS), a força do agronegócio e a recuperação da bolsa de valores após um período de quedas recorde.

    Em 48 horas, cientistas brasileiros sequenciam genoma do novo coronavírus

    Em um intervalo de apenas 48 horas após o primeiro caso confirmado de coronavírus em São Paulo, pesquisadores do Brasil e da Universidade de Oxford sequenciaram o genoma do novo coronavírus identificado no paciente.

    Enquanto geralmente esse tipo de trabalho é feito em 15 dias, os pesquisadores conseguiram em apenas dois mostrar através da análise genética que o genoma do SARS-CoV-2 encontrado no Brasil apresentava diferenças em relação ao genoma de referência obtido na cidade de Wuhan, na China. Esse estudo foi crucial para identificar o caminho que o vírus fez para chegar até o país e saber onde estavam os grupos iniciais de transmissão local.

    Brasileiros foram mais solidários durante a pandemia

    A pandemia despertou o sentimento de solidariedade no Brasil. Do lado de fora das paredes brancas dos hospitais, muitas pessoas passaram a doar tempo ou dinheiro para a cura dos sintomas sociais da pandemia no país.

    Para amenizar o impacto econômico e social no período mais duro da disseminação do vírus no país, espalharam-se pelas favelas e periferias brasileiras redes de solidariedade que distribuíram cestas básicas, produtos de higiene e auxílio financeiro para as famílias mais pobres.

    Grupos de psicólogos também se tornaram voluntários para prestar apoio psicológico gratuitamente aos profissionais de saúde que trabalharam na linha de frente do combate ao coronavírus, jornalistas se uniram para tentar contar voluntariamente as histórias por trás dos números da COVID-19 no país através do portal Inumeráveis e pessoas dedicaram parte do seu tempo para conversar por telefone com pacientes que estavam internados nos hospitais.

    Pesquisa brasileira apresentou novo remédio que pode ser a cura do HIV

    Pesquisadores da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) apresentaram uma pesquisa que pode resultar em um dos primeiros casos de cura do vírus HIV. O paciente brasileiro, que foi diagnosticado com o vírus HIV em 2012 e tratado com um novo coquetel contra a doença, apresentou remissão e está há mais de dois anos sem carga viral. Foi o primeiro caso no mundo a deixar um paciente livre do HIV somente com o uso de medicamentos.

    Solidão da quarentena fez brasileiros lerem mais livros

    O mercado brasileiro de livros viveu uma retomada desde que as pessoas passaram a evitar sair às ruas devido ao novo coronavírus.

    Segundo o 12.º Painel do Varejo de Livros no Brasil de 2020, divulgado pelo Sindicato Nacional dos Editores de Livros (SNEL) e pela Nielsen, ao longo do ano de 2020 foram comercializados 4,1 milhões de livros, um aumento de 20,5% em comparação com o ano passado.

    Comércio eletrônico cresce 70% e auxilia pequenos empresários

    Mesmo sem contar o Natal, de janeiro a novembro de 2020, o setor de vendas on-line aumentou 70% em relação ao ano passado. Já foram mais de 270 milhões de pedidos em milhares de lojas de todo o Brasil.

    Para a economista Juliana Inhasz, coordenadora do Curso de Graduação em Economia do Instituto de Ensino e Pesquisa (Insper), o comércio eletrônico fez com que muitos empreendedores apreendessem a vender on-line para conseguir manter seu negócio aberto durante pandemia.

    "Nós estamos falando desde setores que já eram propensos a isso, como o setor bancário, mas também parcelas da população que antes não estavam habituadas com essa tecnologia. Nós vimos pessoas fazendo um comércio que antes era presencial, mas que agora virou eletrônico", afirmou à Sputnik Brasil.

    Segundo uma pesquisa feita pela Ebit|Nielsen, as vendas por e-commerce no Brasil em 2021 devem crescer 26%, atingindo um faturamento de R$ 110 bilhões.

    "Teve uma intensificação no uso dessa tecnologia que pode, sem dúvida, gerar muitos benefícios no pós-pandemia", acrescentou Juliana Inhasz.
    Eleições municipais em meio à pandemia

    Como se não bastasse a pandemia para se preocupar, as autoridades brasileiras ainda precisaram organizar as eleições municipais de 2020 em mais 5.500 municípios espalhados pelo território nacional.

    Mulher vota em São Bernardo do Campo, em São Paulo, no primeiro turno das eleições municipais no Brasil
    Amanda Perobelli
    Mulher vota em São Bernardo do Campo, em São Paulo, no primeiro turno das eleições municipais no Brasil

    Sem grandes ocorrências ou eventos que comprometessem o pleito, salvas algumas exceções como Macapá (AP), as eleições municipais, podem sim, serem chamadas de um dos pontos positivos de 2020, segundo Maria do Socorro Souza Braga, professora da Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR).

    "A realização das eleições, para mim, foi o ponto mais positivo, com certeza. A Justiça Eleitoral conseguiu realizar o pleito com todos os protocolos necessários para que ela ocorresse dentro da normalidade e do que foi possível", afirmou à Sputnik Brasil.

    A especialista disse que o saldo das eleições foi positivo, apesar do contexto da pandemia no Brasil.

    "A gente ter uma Justiça Eleitoral que funciona bem facilitou a própria divulgação dos resultados. Embora a gente teve aquele problema do primeiro turno, no segundo turno imediatamente a gente já sabia o resultado. Isso também mostra o quanto o TSE trabalhou muito bem", analisou.

    A professora destacou também a diversidade presente nas eleições municipais brasileiras. Segundo mapeamento da Associação Nacional de Transexuais e Travestis, são 30 as candidaturas trans eleitas em 2020, sendo que sete foram as mais votadas em suas cidades.

    "Houve um avanço da diversidade social nas eleições. É verdade que essa diversidade ainda não chegou a atingir uma grande expressão. Houve um avanço, com certeza. Pela primeira vez a gente tem a eleição de pessoas trans", comentou.

    Além do registro recorde de candidaturas femininas em 2020 na disputa pelas prefeituras e câmaras municipais, o total de mulheres eleitas, reeleitas ou que ainda concorreram no segundo turno também cresceu.

    "Tivemos a eleição de mais mulheres, embora a sub-representarão feminina continue, houve um pequeno avanço nesse campo da maioria do eleitorado. O principal elemento para se destacar é a eleição de mulheres pretas, trans e LGBT", completou Maria do Socorro.
    Bovespa recupera perdas acumuladas em ano de pandemia

    A bolsa de valores brasileira, a B3, fechou em alta em meados de dezembro e oficialmente conseguiu zerar as perdas acumuladas no ano da pandemia do novo coronavírus.

    Gráfico das flutuações dos índices de mercado no pregão da BM & F Bovespa Bolsa de Valores de São Paulo.
    © Folhapress / Diego Padgurschi
    Gráfico das flutuações dos índices de mercado no pregão da BM & F Bovespa Bolsa de Valores de São Paulo.

    No dia 23 de março, pior momento da crise, as perdas acumuladas chegaram a 45,03%. Com alta nos fechamentos dos últimos meses, a bolsa brasileira acumula ganhos no ano de 2020.

    "Nós temos uma recuperação do valor das ações, isso é importante porque nós vínhamos em uma perspectiva de que os preços das ações no mercado iriam derreter, isso não aconteceu. Aparentemente os investidores ainda apostam no mercado brasileiro", destacou Juliana Inhasz.
    Agronegócio deve registrar crescimento histórico em 2020

    Mesmo com a maioria dos setores da economia brasileira registrando perdas históricas, o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) do agronegócio brasileiro em 2020 está estimado em 9%. As estimativas foram divulgadas pela Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA).

    Trator prepara a terra para o plantio de soja na zona rural da cidade de Pindamonhangaba, no interior de São Paulo
    © Folhapress / Lucas Lacaz Ruiz
    Trator prepara a terra para o plantio de soja na zona rural da cidade de Pindamonhangaba, no interior de São Paulo

    O economista Hélio Sirimarco, vice-presidente da Sociedade Nacional de Agricultura (SNA), atribui o resultado do PIB do setor a um "aumento considerável da demanda, tanto interna quanto externa".

    "Na parte externa, a China demandando fortemente soja e carnes, por exemplo. Aqui no Brasil, com a ajuda do governo, as famílias aumentaram o consumo", afirmou à Sputnik Brasil.

    Segundo as estimativas da CNA, o Brasil manterá a trajetória de crescimento do setor em 2021, quando o agronegócio deve registrar um resultado positivo de 4,2%.

    "A margem de lucro dos produtores está muito interessante, a margem de lucro do produtor de soja no Brasil está na faixa de 60% nos preços de hoje, por exemplo", disse.
    Tema:
    Resultados de 2020, o pior ano da história, e esperanças para 2021 (14)

    Mais:

    'O pior da história': veja em imagens como foi 2020
    Círculo do inferno: 2020 termina do mesmo jeito que começou
    Bolsonaro e Trump 'travam', mas não na beleza, em 2020: os melhores memes do Brasil e do mundo
    2020: como as turbulências desse ano difícil afetaram a nossa noção de tempo
    2020 no Brasil: o pior ano de nossa história?
    Tags:
    saúde, economia, ciência, voluntários, solidariedade, povo brasileiro, brasileiros, brasileiro, retrospectiva, novo coronavírus, COVID-19, 2020, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar