13:47 24 Janeiro 2021
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    Brasil luta contra COVID-19 no final de dezembro (60)
    0 70
    Nos siga no

    Nesta quinta-feira (24), a Turquia afirmou que a mesma vacina é eficaz em 91,25% das doses administradas. O secretário estadual da Saúde de São Paulo afirmou que, de acordo com os dados do Butantan, a CoronaVac não chega a 90% de eficácia.

    O governo do estado de São Paulo deverá divulgar os dados de eficácia da CoronaVac obtidos em testes conduzidos pelo Instituto Butantan até o dia 7 de janeiro. As informações foram publicadas nesta sexta-feira (25) pelo G1, que teve contato tanto com o governo de São Paulo como com o Instituto Butantan.

    Os resultados da eficácia da CoronaVac já tiveram a divulgação adiada duas vezes. A previsão inicial era de que a eficácia viesse a público no dia 15 de dezembro.

    O segundo prazo, dia 23 de dezembro, também não foi cumprido: segundo o governo de São Paulo, a Sinovac, laboratório chinês que criou a vacina, pediu o sigilo dos dados. O motivo seria o desejo de unificar e equalizar os dados do Butantan com os estudos conduzidos em outros países, como Turquia e Indonésia.

    A Turquia, no entanto, divulgou os dados dos testes realizados no país no dia seguinte: segundo pesquisadores turcos, a CoronaVac apresentou 91,25% de eficácia nos testes da fase três.

    Agente de saúde recebe doses da vacina chinesa CoronaVac durante testes em São Paulo, 11 de dezembro de 2020
    © REUTERS / Amanda Perobelli
    Agente de saúde recebe doses da vacina chinesa CoronaVac durante testes em São Paulo, 11 de dezembro de 2020

    Logo após a divulgação dos dados pela Turquia, o secretário estadual da Saúde de São Paulo, Jean Gorinchteyn, disse que a CoronaVac não chegou a 90% de eficácia, segundo os dados do Instituto Butantan. Segundo Gorinchteyn, considerando a técnica usada no desenvolvimento da vacina, não havia expectativa de chegar a esse percentual.

    "Mas o que nós não imaginávamos é que a empresa [Sinovac] queria, e objetivava, uma unicidade, um resultado muito próximo em todos os países, e não somente em um ou outro país", disse o secretário.

    Gorinchteyn não explicou, no entanto, como a Turquia, usando a mesma vacina, obteve o percentual de 91,25%.

    Com a divulgação feita pela Turquia, a Sinovac é a primeira fabricante chinesa de vacinas a ter dados da fase três publicados. As vacinas da Pfizer (95%), da Moderna (94,5%), e da AstraZeneca (70%, podendo chegar a 90%), além da Sputnik V (92%), tiveram a eficácia divulgada no mês passado.

    Tema:
    Brasil luta contra COVID-19 no final de dezembro (60)

    Mais:

    França autoriza uso da vacina contra COVID-19 Pfizer/BioNTech
    Especialista comenta estudo da Fiocruz sobre reinfecção por COVID-19 e garante: vacinas são eficazes
    Presidente argentino agradece Putin por vacina russa contra COVID-19
    Vacina da Moderna causa efeitos colaterais em pessoas que realizaram procedimentos estéticos faciais
    Polarização nas economias da América Latina deixa uns países sem acesso a vacinas, diz especialista
    Tags:
    São Paulo, Instituto Butantan, COVID-19, pandemia, vacina
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar