11:47 21 Janeiro 2021
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    Brasil luta contra COVID-19 no final de dezembro (60)
    0 11
    Nos siga no

    O governo brasileiro anunciou que passará a barrar a entrada de passageiros oriundos do Reino Unido, com o objetivo de impedir a disseminação de uma nova variante do vírus SARS-CoV-2, o vírus que causa a COVID-19.

    A informação foi publicada no Diário Oficial da União (DOU) através da portaria nº 648, ainda na quarta-feira (23). A proibição de entrada de passageiros vindos do país europeu terá início na sexta-feira (25).

    Segundo o documento, nenhum voo partindo do Reino Unido, ou que faça escala no país, poderá vir ao Brasil. Além disso, estrangeiros que tenham passado pelo Reino Unido nos últimos 14 dias também não poderão entrar no território brasileiro. Essa exigência passa a valer no dia 30 de dezembro.

    Para demais estrangeiros que queiram entrar no país pela via aérea será exigido um teste RT-PCR negativo de detecção da COVID-19 realizado 72h antes do embarque. A exigência não vale para crianças menores de 12 anos, desde que estejam acompanhadas por pessoas que entregaram o exame. Além do PCR, será exigido do estrangeiro a Declaração de Saúde do Viajante.

    Compradores passam por um sinal de distanciamento social em meio à pandemia da doença do coronavírus (COVID-19) em Londres, Reino Unido, 16 de dezembro de 2020
    © REUTERS / Toby Melville
    Compradores passam por um sinal de distanciamento social em meio à pandemia da doença do coronavírus (COVID-19) em Londres, Reino Unido, 16 de dezembro de 2020

    A portaria impõe ainda a restrição à entrada de estrangeiros, de qualquer nacionalidade, quaisquer meios terrestres, rios e afins. Estão excluídos os paraguaios e moradores de cidades cortadas por fronteiras, com exceção da Venezuela.

    Apesar disso, as restrições terão exceções, conforme determina a portaria no DOU. É o caso de brasileiros natos ou naturalizados, imigrantes com residência definitiva no Brasil com prazo determinado ou indeterminado, profissionais estrangeiros a serviço de organismos internacionais e funcionários estrangeiros acreditados junto ao governo brasileiro.

    Além desses casos, a exceção também está prevista para estrangeiros com parentes brasileiros ou com ingresso autorizado no país pelo governo por interesse público e questões humanitárias. Serão liberados ainda os estrangeiros portadores do Registro Nacional Migratório e também o transporte de cargas.

    Brasil e Reino Unido estão entre os países mais afetados pela pandemia da COVID-19. Segundo os dados da Universidade Johns Hopkins, o Brasil tem 7.365.517 casos confirmados do novo coronavírus e 189.220 mortes pela doença. Já o Reino Unido tem 2.156.077 de casos e 69.157 mortes. Apesar de ser o segundo país com mais mortes na pandemia, o Brasil ainda tem vacinas disponíveis contra a COVID-19 liberadas para aplicação. O Reino Unido, por sua vez, já iniciou uma campanha de vacinação contra a doença usando a vacina desenvolvida pelas farmacêuticas Pfizer e BioNTech.

    Tema:
    Brasil luta contra COVID-19 no final de dezembro (60)

    Mais:

    Vacinação contra COVID-19 no Brasil deve ser coordenada pelo Ministério da Saúde, diz sanitarista
    Reino Unido: 2ª nova mutação do coronavírus originária da África do Sul é descoberta
    Merkel diz que acordo entre UE e Reino Unido tem 'significado histórico'
    Tags:
    COVID-19, Brasil, Reino Unido
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar