03:06 30 Julho 2021
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    0 41
    Nos siga no

    Estudo inédito feito pelo Instituto de Segurança Pública (ISP), divulgado nesta segunda-feira (21), contabilizou mais de R$ 23 milhões em armas apreendidas pelas forças de segurança no ano passado.

    No ano de 2019, as forças de segurança do Rio de Janeiro apreenderam 8.423 armas que estavam nas mãos de bandidos. Segundo a pesquisa, um terço das pistolas e metade dos fuzis foram retirados de circulação após morte por intervenção policial.

    O relatório publicado pelo portal do Instituto de Segurança Pública (ISP) traz informações sobre as circunstâncias em que as apreensões ocorreram, os fabricantes e o município em que foi registrado o boletim de ocorrência sobre o armamento.

    Em 2019, fuzis e pistolas figuraram na lista das quatro armas mais encontradas nas mãos de bandidos. A quantidade de fuzis apreendidos no estado (550, o que representa 6,5% do total) foi 11% maior que no ano anterior, sendo a mais alta desde 2007.

    Carro da polícia militar patrulhando ruas da Vila Kennedy, no Rio de Janeiro (arquivo)
    Carro da polícia militar patrulhando ruas da Vila Kennedy, no Rio de Janeiro (arquivo)
     O número total de apreensões de armas caiu 6,5% em quatro anos, saindo de 9.010 unidades, em 2016, para 8.423, no ano passado.

    O maior número de apreensões, segundo o relatório, aconteceu no interior do estado do Rio de Janeiro (3.202, ou 38% do total). Na região, destaca-se a retirada de circulação de revólveres (1.360 ou 47,2% do total do estado), e também espingardas (550 ou 75,4%).

    Já na capital, fuzis e pistolas foram os armamentos mais confiscados, com 338 e 1.378 apreensões, respectivamente.

    Os municípios do Rio, São Gonçalo, Campos, Caxias, Niterói, Nova Iguaçu, Belford Roxo, Volta Redonda, São João de Meriti e Angra dos Reis formam a lista das dez localidades onde ocorreram mais apreensões.

    Policiais de UPPs durante operação na Cidade de Deus e na Comunidade do Karatê, no Rio de Janeiro (arquivo)
    Policiais de UPPs durante operação na Cidade de Deus e na Comunidade do Karatê, no Rio de Janeiro (arquivo)
    Tendo em vista somente o preço de comercialização de carabinas, espingardas, fuzis, metralhadoras, pistolas, revólveres e submetralhadoras no mercado formal, retiradas as taxas e impostos de importação, o valor médio das apreensões realizadas em 2019 seria de aproximadamente R$ 23 milhões.

    Porém, o estudo destaca que algumas destas armas no mercado informal e ilegal podem ter seus valores multiplicados até quatro vezes, o que elevaria esse valor para cerca de R$ 90 milhões.

    Mais:

    Polícia francesa prende ativistas de extrema esquerda que planejavam realizar ataques pelo país
    Policiais militares decidem pelo fim do motim no Ceará
    Jovem é espancado por policiais militares em SP
    Tags:
    ISP, polícia, armas de fogo, Taurus Armas, armas pesadas, armas letais, fuzil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar