15:52 15 Janeiro 2021
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    2134
    Nos siga no

    Advogada do senador Flávio Bolsonaro confirmou que recebeu um relatório produzido pela Agência Brasileira de Inteligência (Abin) para ajudar o parlamentar no processo que investiga um esquema de "rachadinha" na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj).

    A revista Época apresentou nesta sexta-feira (18) novas denúncias sobre o caso envolvendo o senador Flávio Bolsonaro e o comando da Abin. A defesa de Flávio relatou que jamais cogitou seguir as orientações que constavam do relatório.

    Ao fazer este comentário, a advogada Luciana Pires afirmou que o material enviado pela Abin continha sugestões do presidente do órgão, Alexandre Ramagem. "Não fiz nada. Não vou fazer nada do que ele [Ramagem] está sugerindo. Vou fazer o quê? Não está no meu escopo. Tem coisa que eu não tenho controle", afirmou a defensora.

    ​Segundo a advogada, entre as orientações vindas do diretor-geral da Abin, estava o pedido para que a defesa protocolasse uma petição na Receita Federal solicitando os documentos que embasassem a suspeita de que o senador foi alvo de um grupo criminoso que atuava no órgão.

    O vereador Carlos Bolsonaro (direita) com o seu irmão Flávio, senador, em cerimônia de confirmação da vitória do seu pai, Jair Bolsonaro, nas eleições de 2018
    © AP Photo / Eraldo Peres
    O vereador Carlos Bolsonaro (direita) com o seu irmão Flávio, senador, em cerimônia de confirmação da vitória do seu pai, Jair Bolsonaro, nas eleições de 2018
    Ao ser confrontado pela ministra Cármen Lúcia, do Supremo Tribunal Federal (STF), na terça-feira (15), Ramagem admitiu que houve uma reunião com a defesa do parlamentar em agosto, mas disse que o encontro não teve desdobramentos práticos.

    Segundo Luciana Pires, vieram da Abin os dois relatórios e a recomendação para que a defesa protocolasse uma petição na Receita Federal solicitando formalmente os documentos que embasassem a suspeita de que o senador foi alvo de uma devassa ilegal por servidores do Fisco.

    "Nenhuma orientação do Ramagem o Flávio seguiu ou me pediu para seguir. Eu não tenho contato nenhum com o Ramagem. Ele ia ajudar em quê? Ele não tem a menor ideia do que está acontecendo lá dentro (da Receita), eu tenho mais informação do que ele. Ele sugeriu esse monte de ação que ninguém seguiu nada", afirmou.

    Alexandre Ramagem na berlinda

    Também nesta sexta-feira (18), o deputado Alessandro Molon decidiu entrar com um pedido de afastamento para o diretor da Abin.

    Mais:

    MP diz ter nova prova de que Flávio Bolsonaro usou dinheiro de 'rachadinha' para compra de imóvel
    Compra de 12 salas por Flávio Bolsonaro não passou por conta bancária, diz site
    Abin não produziu relatórios para livrar Flávio Bolsonaro, diz GSI
    Tags:
    corrupção, investigação, investigações, Abin, Rachadinha, advogada, Flávio Bolsonaro
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar