23:45 16 Janeiro 2021
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    131
    Nos siga no

    Pessoas negras foram maioria absoluta nas mortes por policiais nos estados da Bahia, Rio de Janeiro, Pernambuco, Ceará e São Paulo.

    Um estudo divulgado nesta quarta-feira (9) pela Rede de Observatórios da Segurança comprova que a letalidade policial no Brasil é muito maior entre os negros. Todos os dados que embasaram a pesquisa foram obtidos através da Lei de Acesso à Informação, e comparados com o censo do IBGE.

    Segundo informações publicadas pela revista Época, o estudo com dados de 2019 fornecidos pela Lei de Acesso à Informação identificou que a Bahia registrou o maior número proporcional de mortes por policiais no ano passado: 97% dos 650 mortos eram pessoas negras. Este percentual é muito maior do que taxa de população negra no estado, que é de 76%, segundo o IBGE.

    Em Pernambuco, 93% dos mortos pelos agentes eram pessoas negras. A taxa de negros na população do estado é de 61,9%.

    Manifestantes protestam contra a violência e o racismo em Porto Alegre, no Rio Grande do Sul, após o assassinato de João Alberto Freitas em um mercado da rede Carrefour
    Manifestantes protestam contra a violência e o racismo em Porto Alegre, no Rio Grande do Sul, após o assassinato de João Alberto Freitas em um mercado da rede Carrefour
    No Ceará, a taxa é de 87%, mas o estado não classificou 77% dos registros, o que prejudica a contagem. No total, 136 pessoas morreram por intervenção policial no ano passado no estado. Destas, 105 não tiveram a cor informada nos registros.

    O estudo classifica a omissão de dados como "inaceitável" e ressalta o Ceará como o caso "mais grave" entre os cinco estados analisados.

    O Rio de Janeiro aparece logo em seguida na proporcionalidade: 86% das 1.814 mortes do tipo em 2019 foram de pessoas negras, que representam 51% da população.

    Questionado sobre os dados, o governo do Rio disse que a política de segurança é baseada em inteligência e tecnologia das polícias. "A atuação das polícias tem sempre, como princípio, a preservação das vidas. Os números do Instituto de Segurança Pública (ISP) comprovam isso: de janeiro a outubro de 2020 houve uma queda de 30,8% nas mortes por intervenção de agentes do estado em relação ao mesmo período de 2019", informou o governo.

    Já em São Paulo, do total de mortos pela polícia, mais de 62% são negros, quase o dobro da população negra do estado, que representa 34% dos paulistas.

    A Secretaria da Segurança de São Paulo disse não conhecer a metodologia da pesquisa e esclareceu que o compromisso das forças de segurança do estado é "com a vida, razão pela qual medidas para a redução de mortes são permanentemente estudadas e implementadas pela pasta".

    Marcha das Mulheres Negras em São Paulo contra a discriminação e a desigualdade (arquivo)
    © Folhapress / Alice Vergueiro
    Marcha das Mulheres Negras em São Paulo contra a discriminação e a desigualdade (arquivo)

    Mais:

    Manifestantes contra o racismo fazem ato em SP (VÍDEO)
    Motoboys protestam em condomínio após racismo contra entregador negro (VÍDEOS, FOTOS)
    Pesquisa mostra que subiu para 83% a percepção de que racismo aumentou ou se manteve em São Paulo
    Tags:
    Bahia, Pernambuco, Ceará, São Paulo, rio de janeiro, policiais, jovens negros, negros, mortes, Brasil, racismo
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar