12:39 08 Maio 2021
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    229
    Nos siga no

    Doação de 4.000 toneladas de arroz do governo brasileiro ao Líbano, anunciada pelo presidente Jair Bolsonaro, para ajudar vítimas de explosão em Beirute, não chegou ao seu destino. 

    Segundo reportagem do portal UOL, dificuldades políticas na capital libanesa e a complexidade logística da operação dificultam a entrega. 

    A oferta do governo brasileiro surgiu após uma grande explosão no porto de Beirute, ocorrida em 4 de agosto, que deixou 6.500 feridos e mais de 200 mortos, além de um rastro de destruição em edificações e infraestrutura. 

    A explosão alcançou potência equivalente a entre 500 e 1.100 toneladas de TNT, aproximadamente uma vigésima parte da que teve a bomba atômica lançada em Hiroshima em 1945.

    A doação será feita por meio do Programa Mundial de Alimentação da ONU (Organização das Nações Unidas), responsável por organizar o frete do arroz. A ABC (Agência Brasileira de Cooperação), que deverá pagar pelo transporte, está conversando com o órgão das Nações Unidas sediado em Roma. 

    Temer chefiou comitiva

    Ainda de acordo com a matéria do UOL, diplomatas acreditam que a entrega possa ser realizada entre dezembro e janeiro, mas ainda não há uma data definida para o envio do alimento para a agência. O responsável pela disponibilização da carga será a Conab (Companhia Nacional de Abastecimento), que ainda não foi acionada pelo Itamaraty. 

    Logo após a explosão, Bolsonaro anunciou a ajuda para o Líbano. O ex-presidente Michel Temer, que tem descendência libanesa, foi o encarregado de chefiar a missão brasileira para Beirute.

    Em 14 de agosto, Temer se reuniu na capital libanesa com autoridades locais. Uma aeronave KC-390, da Força Aérea Brasileira (FAB), entregou seis toneladas de materiais, entre medicamentos, equipamentos de saúde e alimentos, doados pelo Ministério da Saúde e pela comunidade libanesa no Brasil. Outro avião da FAB, o Embraer 190, levou os integrantes da comitiva. 

    Mais:

    Possível interferência externa em explosão de Beirute é investigada, diz presidente do Líbano
    Queda de meteorito em chamas no Líbano é flagrada em VÍDEO
    Israel faz acusações contra o Líbano e diz que questão sobre fronteira marítima é 'beco sem saída'
    Tags:
    arroz, Michel Temer, Jair Bolsonaro, explosão, Beirute, Líbano, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar