20:58 20 Setembro 2021
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    104
    Nos siga no

    O presidente Jair Bolsonaro abriu mão de prestar depoimento presencial no inquérito que investiga se o mandatário tentou intervir indevidamente na Polícia Federal (PF).

    A Advocacia-Geral da União (AGU) informou nesta quinta-feira (26) ao Supremo Tribunal Federal (STF), que o presidente "declina do meio de defesa" de se explicar às autoridades.

    Segundo a AGU, a divulgação da reunião ministerial do dia 22 de abril "demonstrou completamente infundadas quaisquer das ilações que deram ensejo ao presente inquérito".

    "Assim, o peticionante vem, respeitosamente declinar do meio de defesa que lhe foi oportunizado unicamente por meio presencial no referido despacho, aliás, como admitido pelo próprio despacho", escreveu a AGU, citada pelo jornal O Estado de S.Paulo.

    A AGU pediu que o processo seja encaminhado à PF para elaboração de relatório final.

    "Roga pronto encaminhamento dos autos à Polícia Federal para elaboração de relatório final a ser submetido, ato contínuo, ainda dentro da prorrogação em curso, ao Ministério Público Federal", afirmou.

    As investigações apuram as acusações do ex-ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, sobre suposta interferência indevida de Bolsonaro para trocar o comando da PF.

    Moro deixou o governo em abril após pressão do governo para substituir o então diretor-geral da corporação, Maurício Valeixo, pelo diretor da Agência Brasileira de Inteligência (Abin), Alexandre Ramagem, nome próximo da família presidencial.

    Mais:

    'Pergunta para o vírus', responde Bolsonaro sobre prorrogação de auxílio emergencial
    Possibilidade de prorrogar o auxílio emergencial incomoda Bolsonaro, diz analista
    De 'terrivelmente evangélico' a progressista? Escolhido por Bolsonaro ao STF defende Estado laico
    Bolsonaro edita MP que isenta população do Amapá de pagar conta de luz
    Tags:
    Jair Bolsonaro, Polícia Federal, Sergio Moro, Brasil, depoimento, Advocacia-Geral da União, Supremo Tribunal Federal (STF)
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar