04:28 10 Maio 2021
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    395
    Nos siga no

    O senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ) e seu ex-assessor Fabrício Queiroz foram denunciados ao Órgão Especial do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro na investigação sobre a chamada rachadinha da Alerj no começo do mês.

    O policial aposentado Fabrício Queiroz, ex-assessor do então deputado estadual Flávio Bolsonaro, agora senador, admitiu, por escrito, aos promotores do Ministério Público do Rio de Janeiro (MP-RJ) que havia um esquema de "rachadinha" no gabinete de Flávio na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj). Queiroz, no entanto, afirmou que o filho do presidente Jair Bolsonaro não tem envolvimento nos crimes. As informações são da emissora CNN Brasil.

    A declaração de Queiroz consta em uma petição anexada ao processo que está sob tramitação no Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJ-RJ). No documento, Queiroz "admitiu que havia um acordo pelo qual os assessores por ele indicados para ocupar cargos no Gabinete haveriam de lhe entregar parte de seus vencimentos", todavia, "tal acordo teria sido realizado sem consulta ou anuência do então deputado estadual nem de seu chefe de gabinete, valendo-se da confiança e da autonomia que possuía", lê-se na declaração a que a emissora teve acesso.

    Ex-PM Fabrício Queiroz (primeiro à dir.) ao lado de policiais militares e do seu ex-patrão, Flávio Bolsonaro (primeiro à esq.)
    © Foto / Reprodução / Twitter
    Ex-PM Fabrício Queiroz (primeiro à dir.) ao lado de policiais militares e do seu ex-patrão, Flávio Bolsonaro (primeiro à esq.)

    Para os promotores, as explicações de Queiroz são fantasiosas, uma vez que não coincidem com a análise da evolução de patrimônio de Flávio Bolsonaro e da esposa, Fernanda Antunes Bolsonaro.

    Além disso, o MP-RJ considera inviável que Queiroz tenha arrecadado milhões de reais sem que seus superiores tivessem conhecimento do fato.

    Mais:

    Bolsonaro não para de ser perguntado na web: por que Michelle recebeu R$ 89 mil de Queiroz?
    Governo mobilizou órgãos para anular caso Queiroz a pedido de Flávio Bolsonaro, diz revista
    Queiroz e Flávio Bolsonaro são denunciados por rachadinha
    MP-RJ: mulher de Queiroz ajudou a desviar R$ 1,1 milhão da Alerj
    Tags:
    Rachadinha, ALERJ, Ministério Público do Rio de Janeiro, Fabrício José de Queiroz, Flávio Bolsonaro
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar