02:13 07 Maio 2021
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    305
    Nos siga no

    De acordo com as projeções do Boletim Focus, esta é a décima quinta alta semanal consecutiva. O presidente Jair Bolsonaro comentou na manhã de hoje (23), na porta do Palácio da Alvorada, a subida no preço dos alimentos.

    Um dos principais boletins econômicos do mercado financeiro no Brasil apontou nesta segunda-feira (23) que a inflação no país passou de 3,25% para 3,45% na última semana. Este é o décimo quinto aumento consecutivo na projeção para a inflação de 2020.

    Vale lembrar que há um mês, o índice estava em 2,99%. O mercado também elevou de 3,31% para 3,40% a projeção para a inflação em 2021.

    A boa notícia é que a perspectiva dos analistas para a queda do Produto Interno Bruto (PIB) melhorou: de -4,66% para -4,55%.

    Inflação prévia
    Wilson Dias/Agência Brasil
    Inflação prévia
    O Fundo Monetário Internacional (FMI) chegou a projetar uma queda de 9,1% na atividade econômica brasileira neste ano. Porém, com o desempenho da economia no segundo semestre, o dado foi revisado para um recuo de 5,8%.

    A estimativa para a taxa básica de juros, a Selic, permaneceu inalterada pela vigésima primeira semana consecutiva, 2% ao ano. Para 2021, porém, o mercado elevou o índice de 2,75% para 3% ao ano. O Boletim Focus também analisou as projeções para o dólar de 2020, que deve sair R$ 5,41 e fechar o ano em R$ 5,38.

    O que diz o presidente

    Jair Bolsonaro afirmou também nesta segunda-feira (23) que o preço dos alimentos está subindo "além do normal", escreveu o portal R7. "A situação não está fácil, eu sei que há muita coisa ainda para fazer", declarou a apoiadores em frente ao Palácio da Alvorada.

    O presidente Jair Bolsonaro durante entrevista ao chegar no Palácio da Alvorada. Ele falou sobre o vídeo da reunião ministerial citada por Sérgio Moro como prova de interferência na PF.
    © Folhapress / Pedro Ladeira
    O presidente Jair Bolsonaro durante entrevista ao chegar no Palácio da Alvorada. Ele falou sobre o vídeo da reunião ministerial citada por Sérgio Moro como prova de interferência na PF.
    Bolsonaro disse que defende a livre iniciativa e a lei da oferta e da procura. Por isso, disse que não reduziria as exportações para ampliar a venda ao mercado interno.

    "Olha, a soja toda tem que ser exportada. Não tem como se consumir tudo aqui dentro. E outra coisa, eu sou da lei da livre iniciativa, oferta e procura. E o mercado é quem diz se vai ser vendido mais aqui dentro ou mais lá fora", acrescentou.

    Para Bolsonaro, o aumento dos preços "é uma consequência do fique em casa". "Todo mundo aponta pra mim nessa questão dos alimentos. Estamos fazendo o possível para voltar à normalidade", declarou.

    Mais:

    Inflação no Brasil fica em 0,36% em julho puxada por alta na gasolina e energia elétrica, diz IBGE
    Inflação da cesta básica: Abras promove campanha para substituir arroz por macarrão
    Retomada em 'V'? Especialista comenta alta da inflação e previsões para o PIB
    Tags:
    inflação, Bolsonaro, economia, Boletim Focus
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar