20:54 05 Dezembro 2020
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    0 35
    Nos siga no

    As análises iniciais do Instituto Geral de Perícias do RS (IGP-RS) apontam para a possibilidade de asfixia como causa da morte de João Alberto Silveira Freitas, de 40 anos, homem negro, espancado em um supermercado Carrefour de Porto Alegre.

    O IGP informou no Twitter que outros exames laboratoriais estão sendo realizados, e os laudos definitivos devem ser concluídos nos próximos dias.

    ​João Alberto Silveira Freitas foi morto por dois seguranças brancos, na noite desta quinta-feira (19), véspera do Dia da Consciência Negra.

    Magno Braz Borges e Giovane Gaspar da Silva, seguranças flagrados pelas imagens das câmeras, foram presos em flagrante e tiveram a prisão preventiva decretada.

    O corpo de Freitas foi levado aos Departamentos de Criminalística e Médico-legal, na noite de quinta-feira (19), e foi liberado para os familiares na tarde de sexta-feira (20).​

    Segundo a Brigada Militar (como é chamada a Polícia Militar no Rio Grande do Sul), Giovane é policial militar temporário e não poderia estar trabalhando no supermercado.

    João Alberto foi espancado após um suposto desentendimento dentro do estabelecimento.

    Mais:

    Londres: protesto contra o racismo tem 113 pessoas detidas e 23 policiais feridos (FOTOS)
    Assassinato de ator africano negro em Portugal mobiliza protesto contra racismo (FOTOS)
    Motoboys protestam em condomínio após racismo contra entregador negro (VÍDEOS, FOTOS)
    Neymar é expulso e acusa espanhol de racismo: 'Arrependimento é por não ter dado na cara' (VÍDEO)
    Pesquisa mostra que subiu para 83% a percepção de que racismo aumentou ou se manteve em São Paulo
    Tags:
    jovens negros, negros, agredida, agressão, supermercados, Carrefour, racismo, morte, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar