04:45 26 Novembro 2020
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    Coronavírus no Brasil em meados de novembro (37)
    2126
    Nos siga no

    O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), declarou nesta quinta-feira (19) que o estado receberá 46 milhões de doses da vacina CoronaVac nos próximos 40 dias.

    O primeiro lote de 120 mil doses da CoronaVac, produzida pelo Instituto Butantan em parceria com farmacêutica chinesa Sinovac, chegou nesta quinta-feira (19) no Aeroporto Internacional de Cumbica, em São Paulo. A vacina ainda precisa ser autorizada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

    De acordo com o governador de São Paulo, a vacina é "necessária" e "só ela garantirá a volta à normalidade de todos nós, jovens e não jovens de todas as regiões do país".

    ​"A saúde comanda o combate à pandemia em São Paulo. Decisões são fundamentadas na ciência e na saúde", afirmou o governador.

    João Doria aproveitou também para cobrar do governo federal um "esforço concentrado pelas vacinas, sem excluir nenhuma".

    "Fazer um grupo de trabalho no Ministério da Saúde, envolvendo outros ministérios se necessário, governos estaduais, para que as vacinas, mediante aprovação da Anvisa, sejam colocadas imediatamente no sistema nacional de imunização", acrescentou Doria.

    O ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, anunciou em 20 de outubro um acordo para a compra de 46 milhões de doses da vacina CoronaVac. No entanto, o presidente brasileiro Jair Bolsonaro afirmou no dia seguinte que o protocolo para a compra do imunizante seria cancelado. Desde então, a CoronaVac tem sido motivo de disputa política entre Doria e Bolsonaro.

    Tema:
    Coronavírus no Brasil em meados de novembro (37)

    Mais:

    Anvisa deve acelerar processo de aprovação de vacinas contra a COVID-19, diz médica
    Transporte de vacinas contra COVID-19 será desafio para companhias aéreas
    Em qual estágio se encontra a corrida pela vacina contra COVID-19?
    Pfizer faz proposta ao Brasil e diz que poderia 'vacinar milhões de pessoas no 1º semestre'
    Tags:
    vacina, pandemia, novo coronavírus, Vacina CoronaVac, João Doria, COVID-19
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar