01:25 24 Novembro 2020
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    Pandemia de COVID-19 no mundo em meados de novembro (90)
    0 20
    Nos siga no

    O secretário de Saúde dos Estados Unidos, Alex Azar, disse que até 40 milhões de doses da vacina contra a COVID-19 estarão disponíveis para serem aplicadas já em janeiro de 2021.

    Segundo a declaração de Azar, as doses estarão prontas até o final de dezembro deste ano, dependendo da aprovação de uma candidata a vacina. Segundo os dados da Universidade Johns Hopkins, o país registra mais de 250 mil mortes, a nação com mais óbitos por COVID-19.

    "Até o final de dezembro, esperamos ter cerca de 40 milhões de doses dessas vacinas disponíveis para distribuição, enquanto se aguarda a autorização do FDA [Administração de Drogas e Alimentos]", disse Azar durante coletiva de imprensa nesta quarta-feira (18).

    O número de doses permitirá que até 20 milhões de norte-americanos sejam vacinados logo em seguida, afirmou Azar, com prioridade para indivíduos dos chamados grupos de risco, como os idosos.

    Homem infectado com a COVID-19 recebe potencial vacina nos EUA
    © AP Photo / Ted S. Warren
    Homem infectado com a COVID-19 recebe potencial vacina nos EUA

    A expectativa é de que as vacinas serão adquiridas da farmacêutica Pfizer e da BioNTech ou Moderna. O Dr. Moncef Slaoui, conselheiro chefe da Operação Warp Speed, iniciativa ​​da Casa Branca para acelerar medidas contra a COVID-19, disse que as duas vacinas serão enviadas para aprovação de emergência em um futuro próximo.

    O secretário de Saúde disse ainda que espera que as duas vacinas candidatas sejam aprovadas dentro de semanas. A vacina estará pronta para distribuição dentro de 24 horas após a aprovação, disse o chefe de operações da Operação Warp Speed, o general do Exército, Gustave Perna.

    Várias vacinas candidatas, incluindo a russa Sputnik V, são esperadas para estarem prontas para distribuição nos próximos meses.

    Tema:
    Pandemia de COVID-19 no mundo em meados de novembro (90)

    Mais:

    EUA aprovam terapia de emergência para COVID-19 da farmacêutica Eli Lilly
    EUA registram 136 mil casos de COVID-19 e batem recorde de infecções diárias
    COVID-19: 9% dos pacientes com alta retornaram a centros médicos nos EUA, revela estudo
    Tags:
    COVID-19, EUA, Estados Unidos
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar