14:07 02 Dezembro 2020
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    Brasil na luta contra COVID-19 no início de novembro (27)
    391
    Nos siga no

    Em outubro, em pesquisa do Instituto Real Time Big Data, publicada pela CNN Brasil, 53% dos entrevistados disseram "sim" ao responder à pergunta sobre se eles tomariam uma potencial vacina da Rússia.

    De acordo com informações da Folha de São Paulo divulgadas neste neste sábado (7), uma pesquisa do Instituto Datafolha apontou que a adesão à vacinação contra a COVID-19 caiu em quatro grandes capitais brasileiras, São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte e Recife.

    O Datafolha ouviu 1.260 eleitores a partir de 16 anos na capital paulista, 1.064 na fluminense, 868 na mineira e 924 na capital pernambucana, entre os dias três e quatro de novembro.

    A margem de erro é de três pontos percentuais para mais ou para menos, e o nível de confiança é de 95% para todos os casos.

    A principal pergunta feita pelo Datafolha foi: "quando sair a vacina, você pretende se vacinar?".

    Em São Paulo, 72% disseram que sim. O Rio de Janeiro apresentou o mesmo porcentual. Em Belo Horizonte, 74% dos entrevistados disseram que sim. No Recife, o número ficou em 65%.

    O Datafolha sustenta que, apesar da maioria declarar que pretende se vacinar, há resistência à vacina chinesa. A CoronaVac recebeu menos confiança entre os eleitores do Recife, com 42% de aceitação, seguida de Rio de Janeiro e Belo Horizonte, ambas com 52%. Já a capital paulista é a que demonstra menos resistência, com 57%.

    Mulher segura cartaz durante manifestação contra a vacina CoronaVac e contra o governador de SP, João Doria, São Paulo, 1º de novembro de 2020
    © REUTERS / Amanda Perobelli
    Mulher segura cartaz durante manifestação contra a vacina CoronaVac e contra o governador de SP, João Doria, São Paulo, 1º de novembro de 2020
    A vacina desenvolvida e aprovada pelos EUA é a que tem melhor aceitação entre todos os entrevistados. Em São Paulo, a taxa de adesão chega a 76%, bem próximo do registrado em Minas Gerais e Rio de Janeiro (ambas com 72%) e Recife (62%).

    O segundo imunizante que mais inspirou confiança entre os eleitores é o desenvolvido na Inglaterra. Nas quatro cidades, entre 60% e 76% aceitariam as doses. Já a parcela que receberia bem uma vacina russa varia entre 52% e 60% nas capitais, diz a pesquisa.

    Ontem (6), o diretor-geral do Fundo Russo de Investimentos Diretos (RFPI, na sigla em russo), Kirill Dmitriev, fez um comunicado e falou da importância em não politizar a busca por uma vacina contra a COVID-19.

    Tema:
    Brasil na luta contra COVID-19 no início de novembro (27)

    Mais:

    União Química e RFPI enviam à Anvisa documentos para registro da Sputnik V no Brasil
    Anvisa esclarece situação em torno do registro da vacina russa Sputnik V
    Rússia se diz pronta para cooperar com vacinação mundial com a Sputnik V
    Tags:
    Vacina CoronaVac, Sputnik V, vacina, pesquisa, COVID-19
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar