18:20 24 Novembro 2020
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    171
    Nos siga no

    Por 430 votos a 33, a Câmara derrubou nesta quarta-feira (4) o veto do presidente Jair Bolsonaro à prorrogação da desoneração da folha de pagamentos até o ano que vem. 

    A matéria ainda precisa ser analisada pelos senadores, o que deve ocorrer ainda hoje. Caso o veto seja também aprovado no Senado, o texto segue novamente para sanção do presidente. 

    Em julho, Bolsonaro vetou dispositivo que mantinha a desoneração da folha de empresas de 17 setores, que empregam mais de 6.000.000 de pessoas, até o final de 2021. 

    Entre as áreas beneficiadas estão empresas de call center, comunicação, tecnologia da informação, transporte, construção civil, têxtil, entre outras.

    O modelo adotado permite que empresas optem por contribuir para a Previdência com um percentual que varia de 1% a 4,5% sobre a receita bruta, ao invés de recolher 20% sobre a folha de pagamento.

    Guedes e a nova CPMF

    A regra é vista como importante estímulo para a economia diante da crise do coronavírus. A desoneração está prevista no texto do Congresso incluído na Medida Provisória 936/20, que deu origem à Lei 14.020/20,  sancionada por Bolsonaro. 

    O ministro da Economia, Paulo Guedes, vem afirmando que, para manter a desoneração da folha e gerar empregos, seria preciso criar um imposto sobre transações financeiras, nos moldes da antiga CPMF. 

    Mais:

    Ministério não vai dar tratamento diferenciado entre a vacinas da China e de Oxford, diz Bolsonaro
    Alta demanda da China alavancou setor agropecuário do Brasil, avalia economista
    Economista: incerteza política e falta de perspectiva causam perda de investimento no Brasil
    Tags:
    pandemia, novo coronavírus, economia, Paulo Guedes, Senado, Câmara dos Deputados, Jair Bolsonaro
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar