21:51 03 Dezembro 2020
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    0 30
    Nos siga no

    O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) anunciou nesta quarta-feira (28) que enviou ao WhatsApp, de 27 de setembro a 26 de outubro, 1.020 denúncias, após descarte de 17 não ligadas às eleições, de disparo em massa relacionadas às campanhas eleitorais.

    A medida faz parte do Programa de Enfrentamento à Desinformação, uma das parcerias feitas entre o TSE e o WhatsApp para combater a disseminação de notícias falsas nas eleições municipais de 2020.

    Em nota, o TSE afirmou que 256 contas foram banidas da plataforma de troca de mensagens instantâneas.

    "Após uma primeira etapa de revisão, o WhatsApp identificou números duplicados e inválidos (sem uma conta válida de WhatsApp atrelada). Feita essa primeira verificação restaram 720 contas válidas. Deste total, 256 foram banidas por violação de seus Termos de Serviço, número que corresponde a mais de 35% das contas válidas enviadas pelo TSE. Do total de contas banidas, mais de 80% foram derrubadas de forma proativa e automática pelo sistema de integridade do WhatsApp, antes mesmo de serem reportadas", escreveu.

    Para a secretária-geral da Presidência do TSE, Aline Osorio, os resultados iniciais indicam a eficácia da parceria.

    "O resultado preliminar mostra que o canal para denunciar suspeitas de disparo em massa tem sido efetivo. Aos eleitores, o TSE pede que usem o canal de denúncias sempre que receberem mensagens suspeitas, de cunho eleitoral, de modo a contribuir para uma eleição limpa e justa. Aos partidos e candidatos, o tribunal alerta: disparo em massa é ilegal e pode ser punido", disse.

    Mais:

    Presidente do TSE: nunca houve fraude na votação eletrônica no Brasil
    Presidente do TSE pede cuidado com pandemia e fake news
    TSE suspende inelegibilidade de Marcelo Crivella, candidato à reeleição no Rio de Janeiro
    TSE aprova envio de tropas federais a 345 localidades em 7 estados durante eleições brasileiras
    Tags:
    fake news, eleições diretas, eleições, Tribunal Superior Eleitoral, TSE, WhatsApp, notícias falsas, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar