00:46 24 Novembro 2020
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    134
    Nos siga no

    Brasil, Estados Unidos, Egito, Indonésia, Uganda e Hungria assinaram em conjunto uma declaração de promoção de saúde das mulheres e fortalecimento das famílias, que é contrária a políticas de acesso ao aborto.

    O documento, chamado de Declaração do Consenso de Genebra, foi apresentado ontem (22), em Washington, pelos secretários de Saúde e Estado dos EUA, Alex Azar e Mike Pompeo, respectivamente.

    O Brasil, por sua vez, foi representado pelos ministros Ernesto Araújo (Relações Exteriores) e Damares Alves (Mulher, Família e Direitos Humanos). Os dois participaram da cerimônia virtualmente devido à pandemia do novo coronavírus. 

    Em mensagem de vídeo transmitida durante o evento, Araújo afirmou que é dever do Brasil "proteger a vida humana desde a concepção". "Rejeitamos categoricamente o aborto como método de planejamento familiar, assim como toda e qualquer iniciativa em favor do direito internacional ao aborto", disse.

    Segundo a Secretaria Especial de Comunicação Social do governo (Secom), o acordo não possui força de tratado nem é vinculante, e já conta com as assinaturas de mais 25 países. 

    Por sua vez, o Ministério das Relações Exteriores afirmou em nota que "o governo brasileiro orgulha-se de fazer parte da Declaração de Consenso de Genebra, que visa à promoção dos direitos humanos das mulheres e ao fortalecimento do papel da família, temas de grande importância para o Brasil".

    Mais:

    Liderada pelo PSL, Frente Parlamentar Contra o Aborto reúne 205 congressistas
    Em meio ao processo de impeachment, Trump vai participar de marcha anual contra o aborto
    Governo brasileiro publica portaria sobre aborto retirando obrigatoriedade de informar polícia
    Tags:
    Damares Alves, Ernesto Araújo, EUA, Brasil, aborto
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar