09:07 28 Novembro 2020
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    9822
    Nos siga no

    O secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, alertou nesta segunda-feira (19) que Estados Unidos e Brasil precisam reduzir a dependência das importações da China para garantir sua própria segurança, à medida que os dois países reforçam sua parceria comercial.

    Conforme publicou a agência Reuters, a declaração de Pompeo foi dada durante uma cúpula virtual sobre o aumento da cooperação entre EUA e Brasil, focada na recuperação pós-pandemia. Pompeo ressaltou a importância de expandir os laços econômicos bilaterais entre ambos, dado o que classificou como "risco enorme" decorrente da participação significativa da China em suas economias.

    "Na medida em que pudermos encontrar maneiras de aumentar o comércio entre nossos dois países, podemos [...] diminuir a dependência de cada uma de nossas duas nações por itens críticos" vindos da China, disse o secretário de Estado norte-americano, acrescentando que os povos de Brasil e EUA estarão mais seguros no futuro.

    O governo Trump tem trabalhado para estreitar os laços com o Brasil para tentar conseguir vantagens no que Washington entende como uma nova competição entre grandes potências. Já o presidente brasileiro, Jair Bolsonaro, tem demonstrado alinhamento com a Casa Branca, porém a China segue sendo o maior parceiro comercial do Brasil e compra grande parte da soja e do minério de ferro brasileiro.

    Em Washington, o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump (à esquerda), e o presidente do Brasil, Jair Bolsonaro (à direita), conversam na Casa Branca em 19 de março de 2019.
    © AP Photo / Manuel Balce Ceneta
    Em Washington, o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump (à esquerda), e o presidente do Brasil, Jair Bolsonaro (à direita), conversam na Casa Branca em 19 de março de 2019.

    Uma das questões que envolvem o Brasil na competição entre China e EUA é a tecnologia 5G, sobre a qual Bolsonaro ainda não decidiu se proíbe as empresas de telecomunicações brasileiras de comprar equipamentos da chinesa Huawei, conforme exigido pelo governo dos EUA.

    No encontro virtual organizado pela Câmara de Comércio dos EUA, Bolsonaro anunciou três acordos com Washington para garantir boas práticas de negócios e acabar com a corrupção. O presidente brasileiro afirmou que o pacote vai reduzir a burocracia e aumentar comércio e investimentos.

    "No último ano e meio, junto com o presidente Trump, elevamos as relações Brasil-EUA ao seu melhor momento e abrimos um novo capítulo no relacionamento entre as duas maiores economias e democracias do hemisfério", afirmou Bolsonaro.

    Pompeo disse ainda que o Brasil está cada vez mais perto de aderir à Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), com o apoio dos EUA. O secretário de Estado dos EUA acrescentou que Washington apoiará projetos no Brasil avaliados em US$ 450 milhões (cerca de R$ 2,5 bilhões), além de investimentos que acumulam US$ 1 bilhão (cerca de R$ 5,6 bilhões).

    Mais:

    Pompeo: EUA e Brasil querem retomada da democracia na Venezuela
    'Ficamos satisfeitos', diz Mike Pompeo sobre oferta de Bolsonaro de base dos EUA no Brasil
    EUA podem fazer parceria com Brasil e mais países ante ameaça militar da China, diz Pompeo
    Tags:
    Brasil, EUA, Mike Pompeo, Ernesto Araújo
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar