19:22 27 Outubro 2020
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    955
    Nos siga no

    Presidente Jair Bolsonaro disse nesta quinta-feira (15) que a operação da Polícia Federal que encontrou dinheiro na cueca do vice-líder do governo no Senado, Chico Rodrigues (DEM-RR), era "motivo de orgulho".

    A declaração foi feita a apoiadores na porta do Palácio da Alvorada, em Brasília. A tentativa de esconder dinheiro dentro da roupa foi revelada pela revista Crusoé. Rodrigues nega envolvimento com qualquer ilícito.

    "A operação de ontem é fator de orgulho para o meu governo, para o meu ministro Wagner Rosário [da Controladoria-Geral da União] e para a minha Polícia Federal, e não isso que a imprensa está falando agora, que tenho a ver com essa corrupção", disse Bolsonaro, segundo o portal UOL. 

    Rodrigues foi alvo na quarta-feira (14), em Boa Vista, de operação que investiga desvios em aplicação de recursos de combate ao novo coronavírus. Foram encontrados R$ 30.000 com o senador. 

    Ele se tornou vice-líder do governo no Senado em março do ano passado. Segundo o parlamentar, foi o presidente quem o escolheu para o cargo. Em um vídeo antigo, Bolsonaro aparece ao lado de Rodrigues afirmando que a relação entre os dois era "quase uma união estável", referência ao tempo em que os dois foram deputados federais.

    'Não tenho nada a ver com isso'

    Ao comentar o caso nesta quinta-feira (15), o presidente buscou se afastar do vice-líder do governo, cargo que tem trânsito livre no Planalto. 

    "Se um vereador faz algo de errado, não tenho nada a ver com isso", disse Bolsonaro. 

    Além disso, o presidente criticou a imprensa pela cobertura da operação que encontrou dinheiro na cueca do senador. Segundo ele, a mídia tentou relacioná-lo ao caso injustamente.

    "Esse caso aí é mais uma mentira da imprensa que quer desqualificar meu governo a todo tempo. Isso chama-se crise de abstinência. Acabaram os milhões de reais para propaganda oficial do governo. Vocês estão quase há dois anos sem ouvir falar em corrupção no meu governo", disse Bolsonaro. 

    Recentemente, o presidente afirmou que tinha acabado com a operação Lava Jato, pois, como não havia mais corrupção no governo, não haveria mais necessidade dela continuar. 

    Mais:

    Luiz Eduardo Ramos, da Secretaria de Governo, é o 10º ministro de Bolsonaro a ter COVID-19
    Analistas: Bolsonaro ataca Lava Jato para neutralizar Sergio Moro e afagar Centrão
    'Moro e Mandetta podem ocupar espaço dos bolsonaristas arrependidos', afirma cientista político
    Tags:
    Polícia Federal, operação, COVID-19, novo coronavírus, CGU, corrupção, Lava Jato, Jair Bolsonaro
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar