03:52 02 Dezembro 2020
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    0 05
    Nos siga no

    O ministro Mauro Campbell, do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), suspendeu nesta terça-feira (13) a inelegibilidade do prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella, candidato à reeleição este ano.

    A decisão de Campbell foi feita em forma de liminar (provisória) sob a justificativa de que a inelegibilidade de Crivella seria "personalíssima", ou seja, é necessário que se tenham "provas robustas" de que o prefeito do Rio de Janeiro cometeu irregularidades.

    "Como se sabe, a pena de inelegibilidade [...] é de caráter personalíssimo e, portanto, demanda, para sua aplicação, provas robustas de que o agente tenha efetivamente contribuído com o abuso, não bastando meras ilações decorrentes de apoios a correligionários", escreveu Campbell, citado pelo portal G1.

    Em um post nas redes sociais, Crivella confirmou a notícia e citou uma passagem bíblica.

    ​Crivella foi tornado inelegível pelos próximos seis anos por decisão do Tribunal Regional Eleitoral do Rio (TRE-RJ), no fim de setembro.

    O prefeito foi acusado de abuso de poder político e conduta vedada por conta de um evento realizado na Comlurb, em 2018, com funcionários da companhia de limpeza urbana do município, no qual o seu filho, Marcelo Hodge Crivella, foi apresentado como pré-candidato a deputado.

    A ação apresentada pela Procuradoria Regional Eleitoral (PRE) e pelo PSOL levou em consideração os fatos de que veículos oficiais terem sido utilizados para pedirem votos para o filho do prefeito e para o próprio Crivella.

    Mais:

    'Guardiões do Crivella': processo de impeachment de prefeito do Rio é barrado na Câmara
    'Guardiões do Crivella': Flávio Bolsonaro sai em defesa do prefeito carioca
    MP-RJ aponta Crivella como protagonista em 'gigantesco esquema de corrupção'
    TRE do Rio forma maioria para tornar Crivella inelegível até 2026
    TRE-RJ decide pela inelegibilidade de Marcelo Crivella
    Tags:
    candidato, Prefeitura do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, eleições, Tribunal Superior Eleitoral, Marcelo Crivella
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar