03:19 20 Outubro 2020
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    6381
    Nos siga no

    O governador do Ceará Camilo Santana (PT) assinou nesta segunda-feira (28) um memorando de entendimento para construção de uma usina para exploração de urânio no município de Santa Quitéria, interior do estado.

    O Consórcio Santa Quitéria, composto pelas Indústrias Nucleares do Brasil (INB) e a mineradora Galvani esperam investir US$ 400 milhões (R$ 2,2 bilhões) no empreendimento.

    A jazida é a maior reserva de urânio descoberta no Brasil. Estima-se que 142.200 toneladas de urânio são misturadas com fosfatos. O projeto deve gerar até 2.500 empregos, dos quais 500 serão diretos.

    Em entrevista à Sputnik Brasil, o engenheiro Celso Cunha, presidente da ABDAN (Associação Brasileira para o Desenvolvimento das Atividades Nucleares), enalteceu a futura usina.

    "O urânio é a base de toda a indústria nuclear e o fosfato é a base para a indústria de agronegócio", afirmou.

    Segundo Celso Cunha, o Consórcio Santa Quitéria consolida o Brasil como sétima reserva mundial de urânio.

    "A importância disso é muito grande, essa mina fica em Santa Quitéria, lá no Ceará e já tem uma previsão de começar a operar em 2023. Ela é extremamente importante e vem consolidar a posição do Brasil como sétima maior reserva de urânio do mundo", disse.

    Segundo uma publicação da Agência Nacional de Mineração, autarquia federal vinculada ao Ministério de Minas e Energia, o Brasil fica atrás apenas da Austrália (1ª), Cazaquistão (2ª), Rússia (3ª), África do Sul (4ª), Canadá (5ª) e Estados Unidos (6ª).

    A operação do Consórcio Santa Quitéria está prevista para começar em 2023. Celso Cunha explicou que esse é o tempo necessário para que se cumpram todas as exigências para a construção da usina.

    "Você tem uma série de licenciamentos para fazer, uma série de estudos, tem as questões ambientais. Também tem todo o processo para se implantar uma mina, não é simplesmente sair cavando buraco, você tem toda uma estrutura em volta disso", completou.

    As opiniões expressas nesta matéria podem não necessariamente coincidir com as da redação da Sputnik

    Mais:

    Para que Brasil precisa explorar urânio?
    Fim do monopólio do urânio beneficiará 'setor em ebulição' no Brasil, diz especialista
    Irã tem capacidade de enriquecer urânio em qualquer porcentagem, afirma agência
    Tags:
    energia nuclear, jazidas, Ceará, enriquecimento de urânio, urânio enriquecido, urânio, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar