08:43 30 Outubro 2020
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    Por
    8144
    Nos siga no

    O primeiro debate presidencial nos EUA pegou fogo, com muito xingamento e troca de acusações entre os candidatos democrata e republicano. O debate invadiu o Twitter, com "vitória" de Biden no número de tweets.

    Em um debate presidencial organizado para colocar frente a frente os candidatos à presidência dos Estados Unidos pelos Partidos Democrata e Republicano, Joe Biden e Donald Trump, respectivamente, aconteceu tudo e mais um pouco, com incêndios na Floresta Amazônica sendo usados contra o atual presidente norte-americano.

    Se debates presidenciais geralmente são transmitidos apenas nas nações onde acontecem, o primeiro debate entre Biden e Trump recebeu atenção especial no Brasil, tanto na televisão como no Twitter.

    Os dois candidatos figuram entre os assuntos mais comentados desta quarta-feira (30) no Twitter, com o democrata Biden bem na frente do republicano Trump, com diferença de quantidade de tweets de três milhões.

    Enquanto Trump foi mencionado em mais de 3,3 milhões de tweets, Biden já ultrapassou 6,2 milhões em menções.

    Tweets sobre Biden vêm carregados de críticas.

    ​Tocar no Brasil durante debate não agradou muitos brasileiros.

    ​Há incêndios nos Estados Unidos para Biden se preocupar, escreve internauta.

    ​O pedido que muita gente esperava ouvir.

    ​Bolsonaristas se juntaram para apoiar Donald Trump, querido por Bolsonaro.

    ​"Tradução horrorosa" visou diminuir as falas de Trump, acredita bolsonarista.

    ​Estão chamando Biden de "comunista".

    Mais:

    Eleições nos EUA: Trump e Biden debatem pela 1ª vez com muitas interrupções e ataques
    Biden defende que vaga na Suprema Corte seja definida após eleição: 'Abuso de poder'
    'Florestas tropicais no Brasil estão sendo destruídas', diz Biden em debate com Trump nos EUA
    Tags:
    Twitter, debate, Eleições nos EUA, Donald Trump, Joe Biden
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar