07:09 30 Outubro 2020
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    141
    Nos siga no

    A Justiça Federal do Distrito Federal determinou nesta terça-feira (29) que os hackers Walter Delgatti Neto e Thiago Eliezer, acusados de invadir celulares do ex-ministro da Justiça Sergio Moro e outras autoridades, sejam colocados em liberdade.

    O juiz Ricardo Leite, substituto da 10ª Vara Federal de Brasília, argumentou na decisão que manter os acusados presos acarretaria "inevitável excesso de prazo".

    "Mesmo tendo a defesa pugnado pela nulidade da instrução processual, tendo dado causa à demora na instrução processual, entendo que objetivamente há excesso de prazo na increpação dos custodiados sem que tenha havido o desenvolvimento da relação processual", escreveu na decisão, citado pelo portal G1.

    O Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF-1) anulou audiências referentes à ação penal atendendo a um pedido da Defensoria Pública.

    Segundo Ricardo Leite, "não há outra alternativa a não ser revogar a custódia preventiva de Santos e de Delgatti Neto e fixar medidas cautelares diversas da prisão para manter a vinculação dos réus ao processo e inibir a reiteração delitiva".

    Apesar de poderem responder em liberdade, os acusados estão proibidos de acessar endereços eletrônicos pela Internet, redes sociais, aplicativos de mensagens, exceto para videoconferências e compromissos com a Justiça.

    Mais:

    Lava Jato: TRF-4 absolve ex-tesoureiro do PT que foi condenado por Moro
    Moro é intimado a depor pela PF em inquérito sobre atos antidemocráticos
    Juiz nega liberdade a acusado de hackear Moro e outras autoridades
    Suspeitos de hackear Moro e Deltan têm prisão decretada pela Justiça
    Tags:
    habeas corpus, liberdade, Justiça Federal, celular, ataque hacker, hackers, hacker, Sergio Moro, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar