16:19 27 Outubro 2020
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    4351
    Nos siga no

    O Tribunal Regional Eleitoral (TRE-RJ) votou hoje (24), por unanimidade, a favor da inelegibilidade do atual prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella (Republicanos), por abuso de poder político.

    A decisão foi tomada na tarde desta quinta-feira (24), após a retomada do julgamento que havia sido interrompido na última terça-feira (21), quando o placar na corte era de seis votos a zero pela inelegibilidade. O desembargador recém-chegado Vitor Marcelo Rodrigues, indicado pelo presidente Jair Bolsonaro no final do mês passado, havia pedido vistas do processo. 

    Crivella foi acusado de abuso de poder político e conduta vedada por conta de um evento realizado na Comlurb, em 2018, com funcionários da companhia de limpeza urbana do município, no qual o seu filho, Marcelo Hodge Crivella, foi apresentado como pré-candidato a deputado. A ação apresentada pela Procuradoria Regional Eleitoral (PRE) e pelo PSOL levou em consideração os fatos de veículos oficiais terem sido utilizados, de terem sido pedidos votos para o filho do prefeito e do próprio Crivella ter agradecido ao presidente da Comlurb por ajudar seus candidatos, destaca o G1. 

    ​A defesa de Crivella deve recorrer da decisão e afirma que o prefeito participará normalmente do pleito municipal de novembro, no qual busca a reeleição. Até que o caso seja analisado pelo Tribunal Superior Eleitoral ou pelo Supremo Tribunal Federal, segundo o TRE, o prefeito está inelegível.

    Mais:

    MP eleitoral pede inelegibilidade de Crivella até 2026 por promessas de benefícios a religiosos
    'Guardiões do Crivella' mostram 'institucionalização' da violência contra imprensa, conforme Fenaj
    'Guardiões do Crivella': processo de impeachment de prefeito do Rio é barrado na Câmara
    'Guardiões do Crivella': Flávio Bolsonaro sai em defesa do prefeito carioca
    Tags:
    abuso de poder, tribunal, julgamento, prefeito, Marcelo Crivella, Rio de Janeiro, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar