19:35 27 Outubro 2020
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    0 20
    Nos siga no

    A Polícia Federal (PF) e autoridades de Mato Grosso e Mato Grosso do Sul estão investigando as origens dos incêndios que, até a última quarta-feira (16), já tinham destruído cerca de 2,8 milhões de hectares do Pantanal.

    A área destruída pelo fogo chega a quase 30 mil km², segundo os dados divulgados pelos dois estados. Essa área representa um território maior que o estado de Alagoas, informou Agência Brasil.

    Por meio da análise de imagens de satélites e do sobrevoo, agentes federais tentam entender o percurso percorrido pelas chamas desde o ponto de origem do fogo. O objetivo seria apurar eventual responsáveis e responsabilizá-los por crimes ambientais.

    Órgãos estaduais sul-mato-grossenses também estão realizando uma apuração conjunta com o propósito de identificar a origem dos incêndios.

    Nesta quarta-feira (16), servidores do Instituto de Meio Ambiente de Mato Grosso do Sul (Imasul), bombeiros, policiais militares e civis e peritos da secretaria estadual de Justiça e Segurança Pública foram a campo a fim de começar a cumprir o plano de inspecionar 35 propriedades rurais apenas nesta primeira fase da apelidada Operação Focus.

    Entre as hipóteses investigadas está a de que proprietários rurais autorizados a queimar parte da vegetação para limpar suas terras tenham perdido o controle das chamas, que avançaram pela vegetação seca devido a mais severa estiagem das últimas décadas. Outra hipótese é a de que as queimadas tenham sido intencionais.

    Em 16 de julho, o governo federal proibiu as queimadas em todo o país por 120 dias.

    A medida visa reduzir o número de focos de incêndio em florestas durante o período de seca, que se agrava entre os meses de agosto e outubro. A mesma medida já havia sido adotada em 2019, mas no fim de agosto e com validade de apenas 60 dias. Na última segunda-feira (14), a situação levou o governo de Mato Grosso do Sul a decretar situação de emergência que foi no mesmo dia pelo governo federal.

    De acordo com a Polícia Judiciária Civil, quem é responsabilizado em casos como estes pode ser condenado a penas de reclusão de dois a quatro anos, além de ter que pagar multas cujos valores podem variar entre R$ 1 mil e R$ 7,5 mil por hectare de vegetação afetada.

    Mais:

    Provocada por fumaça vinda do Pantanal, chuva preta pode atingir São Paulo, Rio e Minas
    Brasileiros se unem no Twitter em prol do Pantanal e mostram o pior das chamas
    Tags:
    Polícia Federal, incêndio, Pantanal, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar