15:48 20 Setembro 2020
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    Coronavírus no Brasil em meados de setembro (39)
    3 0 0
    Nos siga no

    Após anúncio de retomada de testes da vacina produzida pela farmacêutica AstraZeneca e a Universidade de Oxford, Anvisa informou que aguarda comunicado oficial para voltar com ensaios no Brasil. 

    A Agência Nacional de Vigilância Sanitária foi comunicada pela universidade britânica sobre a retomada, mas precisa receber um informe oficial da autoridade sanitária do Reino Unido.

    A gigante farmacêutica AstraZeneca informou neste sábado (12) que os testes da vacina contra o coronavírus do laboratório e da Universidade de Oxford foram retomados no Reino Unido após confirmação, pela Autoridade Reguladora da Saúde e dos Medicamentos (MHRA, na sigla em inglês), que o procedimento era seguro. 

    Os ensaios tinham sido interrompidos após um voluntário britânico ter adoecido. A Anvisa explicou que ainda aguarda documentação para a volta dos testes no Brasil. 

    "A Agência Nacional de Vigilância Sanitária foi informada pela Universidade de Oxford sobre a autorização para a retomada dos testes no âmbito do estudo clínico com a vacina para covid-19", disse a agência. 

    "Mas até o momento, a agência não foi comunicada oficialmente pela Autoridade Sanitária do Reino Unido (MHRA), responsável por esta autorização", acrescentou, segundo o portal UOL. 

    'Comprometida com a celeridade'

    Segundo a Unifesp (Universidade Federal de São Paulo), que coordena a realização dos testes no Brasil, cerca de 5.000 voluntários já foram vacinados no país sem reações graves. 

    A expectativa é de que os ensaios clínicos sejam retomados nos próximos dias no Brasil. A suspensão dos testes é um procedimento padrão que acontece sempre que surge uma doença não explicada em um dos participantes.

    "A Anvisa reitera que está comprometida com a celeridade na análise de todos os dados. Ao mesmo tempo, trabalha para garantir a segurança dos participantes do estudo clínico no Brasil", afirmou a nota do órgão. 

    O Ministério da Saúde, por sua vez, disse que aguarda a liberação da Anvisa e do Comitê Nacional de Ética em Pesquisa (Conep) para que "os estudos prossigam também com os voluntários brasileiros".

    Tema:
    Coronavírus no Brasil em meados de setembro (39)

    Mais:

    Secretário da Saúde da Bahia ressalta eficácia de tecnologia da vacina russa Sputnik V
    Estados brasileiros se manifestam sobre possibilidade de compra de vacina russa
    'Pouco provável' a vacina BCG ser usada em adultos contra coronavírus, diz especialista
    Tags:
    Brasil, Reino Unido, testes, laboratório, Universidade de Oxford, vacina, pandemia, COVID-19, novo coronavírus
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar