17:42 18 Setembro 2020
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    Coronavírus no Brasil em meados de setembro (32)
    228
    Nos siga no

    Uma falha técnica do governo federal deixou quase um milhão de brasileiros sem acesso ao auxílio emergencial e Bolsa Família em agosto deste ano.

    Segundo publicou neste sábado (12) o site UOL, o governo pediu a suspensão de pagamentos de ambos os benefícios após revisão dos cadastros, porém pelo menos o dinheiro do Bolsa Família deveria ter sido pago.

    Conforme aponta o Ministério da Cidadania, a Controladoria-Geral da União (CGU) pediu a suspensão de um total de 923 mil benefícios no mês passado. Destes, 613 mil eram inscritos no Bolsa Família e deixaram de receber o auxílio emergencial, enquanto 310 mil tiveram o cadastro suspenso.

    Diante do equívoco, o governo federal promete pagar o valor não depositado com o depósito de setembro para os que foram prejudicados.

    Vista do Cartão Bolsa Família, da Caixa Econômica Federal, que serve para o beneficiário do programa realize o saque mensal do valor do programa
    © Folhapress / Everton Silveira/Agência Freelancer
    Vista do Cartão Bolsa Família, da Caixa Econômica Federal, que serve para o beneficiário do programa realize o saque mensal do valor do programa

    Os pagamentos do Bolsa Família e do auxílio emergencial não são cumulativos, sendo que os cadastrados devem receber apenas o benefício mais vantajoso. Em média, o Bolsa Família paga R$ 190, enquanto o auxílio emergencial tem valor de R$ 600, ou R$ 1,2 mil em caso de mulheres chefes de família.

    Apesar de que o auxílio emergencial pode ser suspenso em caso de pagamento indevido, o Bolsa Família está proibido de fazer o mesmo desde 20 março, tendo em vista o contexto da pandemia da COVID-19. Dessa forma, ao menos os valores do Bolsa Família devem ser pagos.

    Com a suspensão dos pagamentos de agosto, ao menos R$ 550 milhões deixaram de ser gastos pelo governo. Segundo dados da Caixa Federal, 19,2 milhões de pessoas cadastradas no Bolsa Família recebem o auxílio emergencial. O Ministério da Cidadania afirma que os cadastros suspensos serão analisados novamente.

    Tema:
    Coronavírus no Brasil em meados de setembro (32)

    Mais:

    Marco Aurélio proíbe cortes no Bolsa Família no Nordeste
    Bolsa-família 2.0? Guedes anuncia programa Renda Brasil em ano de eleições e pandemia
    Após queda recorde do PIB, Bolsonaro anuncia auxílio emergencial de R$ 300 até o fim do ano
    Tags:
    COVID-19, Brasil, Bolsa Família
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar