07:14 18 Setembro 2020
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    0 20
    Nos siga no

    Nesta quinta-feira (10), uma megaoperação, coordenada pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), do Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT) com a Polícia Civil do DF (PCDF), atuou contra fraudes na Secretaria de Saúde do DF.

    A ação investiga irregularidades na compra de equipamentos hospitalares feitas na gestão do médico Rafael Barbosa, que integrava a equipe do ex-governador Agnelo Queiroz. Segundo Gaeco, as fraudes chegam a R$ 123 milhões, informou Agência Brasil.

    Um total de 46 mandados de busca e apreensão estão sendo cumpridos no Distrito Federal, São Paulo, Rio de Janeiro e Goiás. As supostas fraudes envolvem adesões a atas de registros de preços na gestão do ex-governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral, direcionadas para atender interesses particulares nos processos de contratação das empresas Maquet e Med Lopes Comércio de Material Médico Hospitalar Ltda, conduzidos pela Secretaria de Saúde do Distrito Federal.

    O dinheiro desviado foi transferido para o exterior, via carta de crédito pela Secretaria de Saúde para contas bancárias - na Suécia, China, Estados Unidos, França e Polônia - com pagamentos em euro e dólar para empresas pertencentes ao Grupo Getinge (unidades da Maquet pelo mundo) ou para a Moses Trading, dos EUA.

    O grupo, liderado pelos empresários Miguel Iskin, Gustavo Estellita e Claudio Haidamus, está entre os alvos da força-tarefa da Lava Jato no Rio de Janeiro. Além de fraude em licitação, eles são investigados pelos crimes de peculato, corrupção ativa e passiva, organização criminosa e lavagem de dinheiro.

    Mais:

    MPF nega pedido de Flávio Bolsonaro para mudar data de acareação sobre suposto vazamento de operação
    'Óbvio que Lava Jato iria promover retaliação contra mim', diz Zanin sobre operação em que é alvo
    Prefeitura do Rio é alvo de operação de buscas do MP e da Polícia Civil
    Tags:
    saúde, Distrito Federal, Brasília
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar