05:59 30 Outubro 2020
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    Por
    COVID-19 no Brasil no final de agosto (50)
    0 310
    Nos siga no

    O embaixador do Brasil na Rússia contou à Sputnik Brasil quais os estados com mais interesse na vacina russa contra a COVID-19, Sputnik V, e quais os passos a serem tomados para realização de testes da vacina em território brasileiro.

    Nesta segunda-feira (24), o embaixador do Brasil na Rússia, Tovar da Silva Nunes, conversou com a Sputnik Brasil sobre a vacina russa contra a COVID-19, Sputnik V, e sua inserção no Brasil.

    Segundo ele, ao ser informada sobre o registro da vacina Sputnik V, a embaixada fez "a ponte inicial com o Brasil, para que houvesse uma sensibilização da importância do que foi desenvolvido aqui na Rússia".

    Funcionária demonstra vacina em desenvolvimento no Centro Gamaleya
    © AP Photo / Aleksandr Zemlianichenko
    Funcionária demonstra vacina em desenvolvimento no Centro Gamaleya
    "Nós conhecemos a capacidade tecnológica russa. Sabemos do que os russos são capazes de desenvolver", assegurou Nunes.

    "Os estados que mais se interessaram foram Bahia e Paraná", contou o embaixador. "O nosso Ministério da Saúde também se interessou e recolheu as informações."

    "Diante de uma calamidade de natureza humanitária, uma solução como uma vacina obviamente merece o nosso interesse e o apoio", acredita Tovar da Silva Nunes.

    Acordo com Paraná

    Em 12 de agosto, o governo do Paraná e o Fundo Russo de Investimentos Diretos (RFPI, na sigla em russo) assinaram um acordo de cooperação para a realização de testes, produção e distribuição da vacina Sputnik V em território brasileiro.

    "Eu recentemente abri um canal de diálogo diretamente entre o estado do Paraná e a fundação Araucária, que é uma fundação de ciência e tecnologia vinculada também ao estado do Paraná, junto ao Tecpar – o parque tecnológico que se dispôs a desenvolver a vacina russa", relatou o embaixador para a Sputnik Brasil.

    Segundo ele, a Rússia e as entidades paranaenses devem desenvolver procedimento técnico e tratar dos equipamentos necessários para a produção da vacina.

    "O assunto está vivo, está caminhando, é um tema de grande importância para a aproximação Brasil-Rússia", inclusive no "mundo acadêmico, que é uma vertente valiosa da amizade e confiança", disse Nunes.

    Realização de testes com a vacina russa no Brasil?

    O Fundo Russo de Investimentos Diretos (RFPI, na sigla em russo) anunciou o início da terceira fase de testes com a vacina Sputnik V na Rússia, empreendimento que envolve milhares de voluntários.

    Quando perguntado sobre a possibilidade de realização de testes similares no Brasil, o embaixador lembrou ser necessário aprovação prévia da Agência Nacional de Vigilância Sanitária, a Anvisa.

    "Essa é uma questão importante: o lado brasileiro tem que estar confortável com o tipo de vacina que se possa eventualmente considerar para usar no Brasil", notou.

    "Mas estou seguro de que com esse empenho e capacidade tecnológica russa, surgirá uma vacina acessível [...], que nos permitirá superar essa pandemia de maneira mais segura", concluiu o embaixador do Brasil na Rússia.

    A vacina russa contra a COVID-19, Sputnik V, foi a primeira no mundo a ser registrada. Desenvolvida pelo Centro Gamaleya, a vacina já recebeu emendas de mais de 20 países para a aquisição de cerca de um bilhão de doses.

    Tema:
    COVID-19 no Brasil no final de agosto (50)

    Mais:

    Rússia planeja produzir 2 milhões de doses por mês da vacina contra COVID-19 no fim de 2020
    Sputnik V: Rússia pode iniciar exportações da vacina contra COVID-19 em março de 2021, diz ministro
    Itália dá início aos testes de sua vacina contra coronavírus
    Tags:
    COVID-19, Brasil, Rússia, vacina
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar